.

.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

O TRIUNFO DA VIRGEM MARIA
Maria foi a mais humilde das criaturas e por isso mesmo no céu será a mais gloriosa.
Se Maria ocupa um trono mais perto de Jesus Cristo é porque mais do que ninguém se aproximou da perfeição de sua humildade.
Maria que nem sequer havia incorrido na humilhação do pecado original foi considerada no mundo como uma simples filha de Eva. Foi tratada como seu Filho; os judeus A consideraram como uma mulher ambiciosa, Ela que jamais pronunciou uma palavra em seu favor.
Ninguém foi tão pobre quanto Maria, nem houve pobreza tão meritória porque Ela era a Mãe do Rei do céu e da terra. Para imitar a pobreza de Jesus, Maria trabalha em Nazaré e mendiga no Egito.
A justiça de Nosso Senhor devia pois, à sua Mãe, uma compensação; é por isso justamente que Ela participa de todos os méritos e graças de seu divino Filho, e pode dispor deles livremente.
Todas as graças de salvação nos serão dadas por Maria; graças naturais ou espirituais, visto que Ela possui as riquezas do próprio Deus.
Jesus mesmo vai introduzí-la na glória pois lhe deve uma compensação. Maria viveu na terra, pobre e na obscuridade; era chegado o momento de coroá-la de glória e de honra.

A entrada de Maria no céu foi rodeada de tal esplendor como jamais fora visto; entrou por uma porta especial, aberta só para Ela, pois que não era possível passar pela porta dos simples eleitos.
 Se os doze Apóstolos são as doze portas do céu, Maria é a porta régia que dá acesso à pátria, a porta por excelência, porta utilizada pelo próprio Deus para vir a este mundo.
O triunfo de Maria é também o de Jesus, pois que Ele reencontra sua Mãe. Por sua presença torna a ser filho. Como pode Jesus separar-se de sua Mãe, amando-a tanto? Só o fez por nosso amor; uma vez que Ele no-la deu por Mãe, era mister que nos deixasse gozar de tão inefável dom. Mas era chegado o momento de recuperar seu tesouro.
Finalmente, se a felicidade está sempre em relação direta com os sofrimentos, ninguém no céu é tão feliz quanto Maria, porque ninguém sofreu tanto e ninguém igualou seu amor.

Deus permitiu que Ela sofresse um martírio contínuo. A profecia de Simeão amargurou todas as suas alegrias; desde aquele momento Maria supriu a Jesus, ainda demasiado jovem para sofrer publicamente, e aos pés da cruz se aproximou de Jesus para sofrer mais. Como no céu A queria mais perto de Si, Ele a uniu a seus sofrimentos e às suas humilhações mais intimamente do que qualquer outra criatura.
Para dizer tudo: Deus coroou Maria de glória e de honra como à obra prima de seu amor. de tal modo que acima d’Ela não há mais que Deus.
Mas no meio de sua glória Maria lembra-se de que é nossa Mãe, e que se nos precedeu no céu foi para nos facilitar a entrada e aí nos conduzir. Se soubermos chamá-la em nosso auxílio, na hora suprema, Ela mesma virá buscar-nos levando-nos pela mão.

sábado, 26 de maio de 2012

ELA ESTÁ LÁ, COM A COROA E O CETRO!
Relatos de um exorcismo realizado em 30/03/1976
"...Ela lá está, com a coroa e o cetro. Ela lá está, quase que me esmaga. Foi assim: a princípio, com os Apóstolos, quando Ela, a Mãe, vivia ainda, foi Ela por assim dizer, a orientadora da Igreja, que começava a dar os seus primeiros passos. Ela tinha que rezar para que a Igreja se desenvolvesse convenientemente, para que se desenvolvesse como devia desenvolver-se, segundo a vontade do Espírito Santo.
Deus, a Santíssima Trindade, ordenou-nos a nós, lá em baixo, que subíssemos do inferno. Ainda não era a esfera celestial perfeita, mas já era uma esfera superior. Fomos obrigados a subir e a contemplar essa criatura, quer o desejássemos, quer não. A Santíssima Trindade obrigou-nos a contemplá-La, na sua majestade, quase perfeita. A sua majestade e esplendor eram maiores do que quando a tínhamos visto anteriormente. A Santíssima Virgem vencera, tinha-nos vencido. Vimo-La revestida de Sol. Seja como for, vimo-La em grande majestade, com a lua a Seus pés, isto é, o mundo. O mundo inteiro é significado pela lua, que Ela tem aos pés, e como adversário a serpente, que nos representa a nós.
Como nós suplicámos a Deus! Como nós implorámos a Majestade Divina, que afastasse aquela visão! Até Lhe suplicámos que nos precipitasse imediatamente ao inferno, a fim de que nos pudéssemos afundar nas esferas infernais, de tal modo nos era difícil suportar o seu olhar! Mas Ele não nos deixou partir. Tivemos ainda de suportar uns momentos aquele olhar terrível. Não podeis imaginar o tempo que passámos em deliberações para descobrir a melhor forma de enfraquecer ou molestar, nem que fosse só um pouco, aquela criatura! Mas nada conseguimos. Ela vencia-nos em toda a parte. Era soberana em toda a parte.
Durante anos, durante séculos, deliberámos, para vencer o que podíamos, o que poderíamos fazer, quando Ela lá estivesse. E quando isso aconteceu, nós nem sequer A reconhecemos imediatamente... Imediatamente, não. Sentimos que devia ser Ela. Sentimos que devia tratar-se duma criatura extraordinária, incrivelmente virtuosa, sobre quem não tínhamos qualquer poder. O porque, não o compreendemos logo nem compreendemos quem se escondia lá atrás. Eu e Lúcifer, convocamos todo o Conselho. Quando tivemos a certeza absoluta de que era Ela, deliberámos longamente, dia e noite, a ver o que poderíamos fazer para a prejudicar.
Nós já víamos que seria Ela quem teria, mais tarde, a Igreja nas mãos. O próprio Pedro caía a seus pés, quando era preciso. Ela tem um poder imenso, porque Ela é a criatura mais perfeita e a mais amada por Deus. Foi um ser duma perfeição incrível. Depois de Deus, está milhares e milhares de vezes acima das criaturas. Mesmo o seu esposo, S. José, que estava milhares e milhares de vezes acima dos outros homens, era-lhe ainda imensamente inferior. Então prosseguimos nas nossas deliberações, e os feiticeiros concordaram fazer tudo, para a molestar. Tudo tentaram, mas Ela perseverava na oração e continuava imperturbável. Apercebia-se certamente do que fazíamos, mas nada conseguimos. Não conseguimos molestar esta terrível criatura, pois Ela não estava submetida no pecado original como o resto da humanidade.
Nem mágicos, nem feiticeiros, nem ninguém lhe poderia fazer mal. Nós, demônios e os feiticeiros, só podemos molestar as criaturas humanas, e dum modo especial, os possessos. Mas sobre Ela, os mágicos infernais não tinham qualquer influência.
Acometeu-nos então uma fúria infernal, um furor louco de que só o inferno é capaz, quando verificámos que todos eles nada podiam contra esta criatura incompreensível, predestinada por Deus..."

MARIA NO MISTÉRIO DE PENTECOSTES
«Os discípulos dedicavam-se à oração em comum,
junto com Maria, a Mãe de Jesus». (At 1,14)
 Jesus não poderia ser concebido pela Igreja como plenamente humano se faltasse o testemunho de uma Mãe que o gerou e o educou. Na visão da Igreja, Maria faz parte da vida de Jesus, mesmo sendo uma testemunha silenciosa: “Guardava tudo em seu coração” (Lc2,19-51). Há algo que nem os apóstolos, nem as mulheres nem seus seguidores poderiam testemunhar a não ser Maria que entregou à Igreja tal testemunho: sua humanidade e divindade.
Para a presença de Maria no Cenáculo de Pentecostes contamos com a breve e significativa referência de São Lucas que narra este acontecimento no Livro dos Atos dos Apóstolos. Desta forma, este texto coloca Maria inserida no seio da comunidade apostólica pois, no momento da descida do Espírito Santo, ela está com os apóstolos.
O fato de Maria aparecer nos ícones sempre no meio dos Apóstolos embasa fortemente o pensamento de estar inserida significativamente na comunidade apostólica, pois ela continua, com sua presença, a evangelizar; e recebe, por outro lado, dos que compreenderam a profundidade de sua fé e missão, a honra de ser chamada “Bem Aventurada”.
A efusão do Espírito, como sabemos, tem impressionantes semelhanças com o mistério da Anunciação. É a mesma força que desce do alto, a mesma que cobriu Maria com sua sombra e agora enche o coração dos apóstolos. Os lábios de Maria, na Anunciação se abriram para cantar o Magnificat; e no Pentecostes os apóstolos anunciaram as obras do Senhor a todos os homens em várias línguas.
Maria aparece, como na Ascensão, no centro, como figura e modelo da magnífica presença feminina na Igreja, e lembra também o rosto de Jesus, no meio de seus apóstolos.
O Espírito de Pentecostes une e distingue. Plasma a pessoa em sua irrepetível singularidade, em seu próprio carisma mas, por sua vez, faz destas mesmas pessoas comunhão umas com as outras. Não é uma fusão que as despersonaliza. A Igreja é comunhão de pessoas, chamadas uma a uma pelo mesmo Espírito, salvaguardando cada singularidade, cada vocação e cada missão, para que participem da plena unidade, como imagem da Trindade.
Maria ocupa assim seu lugar na Igreja, pela sua missão, carisma, solidariedade, unidade e comunhão com os demais. Ela é parte da Igreja, discípula e apóstola, e que pela sua maternidade, teve a função de congregar a todos na comunhão, na oração perseverante, à espera do Paráclito.
Porque ela, conduzida pelo Espírito Santo visitou, levando Cristo em seu ventre, o Precursor, dando-lhe alegria e benção; do mesmo modo Pedro e os demais apóstolos, movidos pelo mesmo Espírito, anunciaram a todos os povos o Evangelho que havia de ser para eles causa de alegria e salvação. Agora também a Santíssima Virgem pede, com sua intercessão incessante, para que anunciem o Cristo Salvador para o mundo.


domingo, 20 de maio de 2012

UMA SENHORA VESTIDA DE LUZ
Era "uma Senhora vestida toda de branco, mais brilhante que o sol..."
A Irmã Lúcia conta, que quando Nossa Senhora aparece, tudo é branco, tudo é limpo e tudo é puro. Ela é, afinal, a Virgem das virgens; totalmente pura. O hino Ave Maris Stella lembra-nos que Maria se tornou a porta do céu, permanecendo virgem.
 Ou seja, foi através dela que Cristo, Nosso Senhor, veio ao mundo e ainda a sua virgindade não sofreu nada. Sempre inteiramente pura, ela nos atrai para a sua pureza.
Quando ela apareceu em Fátima, ela nos atraiu para a beleza da pureza. Para convidar as pessoas para serem puras, é preciso primeiro mostrar-lhes a beleza da pureza. A impureza procura a escuridão para esconder suas más obras, mas a pureza ama a luz do dia e se desenvolve na liberdade.
Como predisse Nossa Senhora em Fátima, a Segunda Guerra Mundial estourou e os erros do comunismo ateu se espalharam pelo mundo. Nossa Senhora acrescentou que muitos seriam martirizados e nações seriam aniquiladas, se as pessoas não se convertessem e a Rússia não fosse consagrada. As pessoas foram convertidas? A resposta é não! Pode o castigo divino ser ainda evitado? Depende de fidelidade do mundo aos pedidos de Nossa Senhora.
Em Fátima, Nossa Senhora falou para um mundo impuro usando todos os símbolos de pureza. Foi que um convite apenas para os pastorinhos ou foi para o mundo? Ela estava vestida de branco e banhada em luz.
Isso nos faz lembrar de quando Nosso Senhor falou dos lírios do campo: "Mas eu vos digo que nem Salomão em toda sua glória se vestiu como um deles" (Mt 6:29). Da mesma forma, ninguém em toda a sua glória jamais foi vestido como Nossa Senhora foi: de luz.
"Seu rosto, indescritivelmente belo, não era "nem triste nem alegre, mas sério", com um ar de repreensão leve.
Suas mãos, unidas, como se estivesse orando, estavam descansando em seu peito e apontando para cima. Tinha um rosário pendurado de sua mão direita. Suas roupas pareciam ser feitas de luz. A túnica era branca. O véu, branco e ornado de ouro, cobria a cabeça da Virgem e descia até os pés..."
(Descrição de Nossa Senhora feita pela irmã Lúcia de Fátima)

 


sábado, 19 de maio de 2012

AS MÃOS DE MARIA
As mãos de Maria serão para a nossa oração um par de asas puras que irá transportá-la com certeza para o trono de Deus.


Na Divina Comédia, Dante escreveu que orar sem o patrocínio de Nossa Senhora é como querer voar sem asas!
Devemos pedir, através da mediação de Nossa Senhora, que Deus mais uma vez nos envie o Espírito Santo com a plenitude de seus dons para que Seu reino pode ser criado de novo e ser purificado por uma renovação da face da terra.
Neste momento angustiante na história, vamos voltar nossos olhos para Nossa Senhora com confiança, pedindo-lhe para apressar o grande momento que todos esperam, quando um novo Pentecostes vai acender faróis de luz e esperança na escuridão e restaurar o reino de Nossa Senhor Jesus Cristo na terra.
Em Amsterdam ela nos deu a poderosa oração para invocar um Novo pentecostes em escala mundial:
"Senhor Jesus Cristo, Filho do Pai,
enviai agora à terra o vosso espírito,
fazei que o Espírito Santo habite
nos corações de TODOS od povos, para que
sejam preservados da decadência,
das calamidades e da guerra,
que a Senhora de Todos os Povos,
a Santíssima Virgem Maria,
seja nossa advogada, amém!"
Toda a humanidade sofre hoje, todos os povos sofrem, e de todas as maneiras imagináveis. Corações sofrem, dilacerados pela guerra psicológica revolucionária, que é tão intensa em nossos dias. Corpos sofrem, empobrecidos pelo trabalho, minados pela doença, oprimidos pelas necessidades de cada tipo.
Nossa Senhora é a Rainha do Céu e da Terra e, ao mesmo tempo, a nossa mãe. . Entramos no mês de maio com esta convicção, e torna-se mais profundamente enraizada em nós, fortalecendo nossa fé e aumentando a nossa fortaleza. . Maio nos ensina a amar Maria Santíssima, para a glória que ela possui e com razão, por tudo o que ela representa nos planos da Divina Providência.
Estamos no meio de uma guerra sem precedentes cultural em que um secularismo agressivo e ideológica visa destruir tudo o que ainda é cristã em nossa cultura e das instituições.
Nunca houve tantos insultos contra a nossa Mãe Santíssima. Por exemplo, uma universidade católica em Dayton (USA)recentemente exibida uma imagem de Maria Santíssima entre as prostitutas. Esta mesma universidade foi fundada por uma congregação religiosa dedicada à devoção a Nossa Senhora espalhando e tem os escritórios da Sociedade Mariológico da América.
Para continuar lutando pela nossa fé e nossa identidade cristã, devemos nos tornar cada vez mais conscientes dos males apontados em Fátima: o pecado e suas conseqüências, o inferno eo castigo das nações. Devemos lembrar que a solução para a crise mundial de hoje está em uma verdadeira devoção a Maria confiando na sua promessa em Fátima,
"No fim, meu Imaculado Coração triunfará".


sábado, 12 de maio de 2012

SENHORA, UM DIA DESCESTES À TERRA...
As visitas de Nossa Senhora à Fátima nos deram o fundamento para uma completa visão do mundo que não sai de moda e nem se desatualiza!



Nossa Senhora desceu a Fátima-Portugal no início do
 século XX, um dos mais paganizados de todos os séculos.
O mundo está agora mergulhado não só num 'paganismo' mas num 'paganismo pós-cristão' o que é muito pior que o paganismo pré-cristão.
Pois o paganismo pré-cristão n]ao tinha ainda ouvido falar de Cristo e sua mensagem de salvação. Mas o paganismo pós cristão conhece a Mensagem do Salvador e a rejeitou. À ele e à sua Igreja!
Portanto a mensagem de Fátima deve ser o centro de vivência de nosso catolicismo diário e da forma como encaramos o mundo e a realidade que nos cerca!
Nossa Senhora disse em Fátima que Deus desejava estabelecer no mundo a devoção ao Coração Imaculado de Maria. Disse que muitas almas seriam salvas do Inferno e a aniquilação das nações seria evitada se, a tempo, fosse establecida a devoção ao Seu Coração Imaculado, principalmente por estes dois meios:
1) A consagração da Rússia ao Coração Imaculado de Maria
 pelo Papa junto com os bispos do mundo em uma cerimônia
 solene,
2) O costume de receber a Santa Comunhão em reparação
 pelos pecados cometidos contra a Santa Virgem Maria, no
 primeiro sábado de cinco meses consecutivos- (um costume
 conhecido pelos Católicos como devoção do "Primeiro
Sábado do mês").

A mensagem de Fátima é uma re-afirmação dos ensinamentos tradicionais da Santa Igreja, e uma re-afirmação da urgente necesidade de reparação à Deus nesses tempos atuais onde se vive como se Deus não existisse e se ignora os ensinamentos da santa Igreja.
Nossa Senhora prometeu em Fátima sim uma grande vitória!
mas chamou essa vitória de "triunfo do meu Imaculado Coração" logo, só haverá uma vitória quando um considerável número de almas voltarem-se para Maria Santíssima e atenderem seus pedidos, que nos conduzem ao plano de salvação de Deus para omundo atual.

Façamos agora uma rápida revisão dos seus pedidos:
1 - Rezar ao menos um terço do Rosário todos os dias;
2 - Usar o escapulário marrom (do Carmo);
3 - Oferecer a Deus nossa vida diária como ato de sacrifício;
4 - Confessar e comungar nos primeiros sábados do Mês em reparação ao seu Imaculado Coração;
5 - Que o Santo Padre (o papa) em união com todos os bispos do mundo consagrasse a Rússia ao seu Imaculado Coração, como condição para converter a Rússia e  conceder ao mundo um tempo de Paz.
Essa consagração da forma plena como pediu Nossa Senhora ainda não foi feita e deve urgentemente ser realizada!
É, sem dúvida, imensa a felicidade daqueles que são verdadeiros devotos da Mãe de Deus. Pois viverão sempre felizes. Receberão todas as graças e bênçãos celestiais. E depois da morte terão o lindo Céu como recompensa.
Vejamos o que faz o devoto de Maria.
1)Antes de tudo ele procura conhecer bem a vida e as virtudes de sua Mãe. Há de ler livros que falam do poder, da grandeza e da bondade dela.Não é possível que haja quem não conheça de perto e a fundo o extraordinário prodígio que é a Mãe de Jesus.
2)O devoto da Virgem Imaculada recorre muitas vezes a ela. Conversa familiarmente com sua Mãe como o bom filho faz com sua mãe terrena. Confia a ela suas mágoas, seus aborrecimentos, suas dúvidas e receios, na certeza sempre de que ela se interessa por ele e o ajude. Nossa Senhora gostade que confiemos cegamente nela e que lhe peçamos muitas graças.
3)O devoto de Maria gostade visitá-la nas igrejas e Santuários. Aprecia suas imagens. Faz romarias aos lugares onde atende com mais facilidade e às vezes maravilhosamente.
4)Aquele que ama a Maria, conhece as principais festas marianas, e se prepara bem para elas com orações especiais, mortificações e novenas.
5)O devoto da Virgem traz com devoção ao menos uma medalha com sua efíge; inscreve-se em confrarias marianas. Procura receber o escapulário de Nossa Senhora do Carmo e traze-lo com todo fervor.
6)O devoto da Imaculada agradece não ter sido abandonado, apesar de muitas ingratidões. Agradece os numerosos benefícios obtidos por ela. (Todas as graças, que temos recebido, passaram pelas mãos maternais de Maria).
7)Gostará de rezar o terço, oração predileta da Rainha do Santo Rosário. Cantará com prazer cânticos marianos e apreciará tudo o que se refere à Mãe Celestial.
8)Quem ama, de fato, a Maria entregar-se-á totalmente a ela com uma consagração irrevogável. Farátudo para agradar-lhe. Alegrar-se-á por sabe-la tão grande, tão poderosa, tão bela e tão feliz. Dirá muitas vezes: “Maria, sou vosso e vosso quero ser sempre!”
9)O devoto de Maria procurará evitar tudo o que a possa ofender e o que possa ofender seu filho Jesus.
10)Por fim, e isto é o essencial, o devoto da Virgem procurará imita-la. Procurará copiar suas virtudes; ser semelhante a ela à medida de suas forças.
Quanto mais agradáveis formos a Maria, tanto mais alegraremos o coração de Nosso Senhor.
Considere-se o verdadeiro devoto da Mãe de Deus muito feliz, depois terá todos os auxílios necessários e abundantes neste mundo e a glória celestial no outro.


domingo, 6 de maio de 2012

POR QUE PRECISAMOS DE MARIA ?
Maria não é um adorno supérfluo da Igreja - é uma escolha de Deus: o molde que Deus utilizou para moldar seu Filho em nossa humanidade.
Maria mostra o Caminho.
A partir do consentimento dado por ela na fé por ocasião da Anunciação e mantido sem hesitação sob a cruz, a maternidade de Maria se estende aos irmãos e irmãs de seu Filho, 'que ainda são peregrinos e expostos aos 'perigos e às misérias desta vida'.
Jesus, o único Mediador, é o Caminho da nossa salvação; Maria, sua Mãe e nossa Mãe, lhe é totalmente transparente. Ela Maria 'mostra o Caminho' (...), é seu 'sinal'...
Ela foi unida a Cristo por vontade do Pai, como colaboradora no plano da salvação!
Nossa Senhora, que nos trouxe Cristo, busca incansavelmente nos levar a Ele.
Maria concebeu Cristo primeiro no coração e depois na mente - finalmente na História. Ela é a porta-voz da Sua vontade: "Fazei o que Ele vos disser". SIM PARA OS HOMENS: Maria é Mãe do Filho de Deus e Mãe de todos os filhos de Deus em Cristo - Mãe do Cristo total - a Igreja; portanto, nossa Mãe! Ela nos ama porque ama a Jesus: Ela jamais esquece que somos a razão da sua Encarnação, o preço da sua Paixão e Morte, os herdeiros da sua Ressurreição.
A Santíssima Virgem participa da vitória de Deus sobre Satanás.
Maria é a nova Eva, pois venceu o pecado. Deus serviu-se dela para ludibriar a sagacidade da serpente, que é Satanás.
Sabemos que Cristo veio para destruir as obras do demônio, e isso foi possibilitado porque Deus quis que Ele se encarnasse no seio virginal de Maria. Deus tornou essa graça possível por intermédio de Nossa Senhora, por isso, Ela é odiada pelo demônio, pois Ela trouxe no seio materno Aquele que é Salvador da humanidade.
É no colo da Mãe que se encontra amparo nos perigos e consolo nas tristezas.
Foi no colo da Mãe que Deus quis aprender a ser Homem.
Foi no colo de Maria, sua Mãe, que Jesus quis se preparar para amar e salvar a humanidade.
O que Lúcifer perdeu pelo orgulho, Maria ganhou pela humildade.
Ela, por sua perfeita fidelidade a Deus, salvou consigo todos os filhos e servos consagrando-os a Deus. Maria é a grande 'vingança' de Deus contra satanás.(Gn 3, 14-15).
Onde está Maria, ali, o espírito maligno não entra. Onde Ela é venerada e tomada por Mãe, satanás não tem poder de entrar. Ele tem medo dela, pois por sua humildade e pelo seu sim, Ela o derrotou.
Precisamos abrir o nosso coração, a nossa casa, a nossa vida à presença da Virgem. Onde Ela está, aí estão Jesus, a vitória de Deus e a derrota de Satanás. Ela esmagou-lhe a cabeça, e por isso ele a teme tanto.
"Maria traz a vitória de Deus para nossas vidas!"

terça-feira, 1 de maio de 2012

APROXIMAI-VOS DO TRONO DA GRAÇA!
Celebrar o mês de maio é acumular graças, Maria não despedirá ninguém de mãos vazias.
O Papa Paulo VI, em 1965, publicou uma Encíclica sobre o mês de maio para reafirmar expressamente que a Igreja o considera o mês mais fecundo de oração e de graças celestes para todas as necessidades para a Humanidade e para a Igreja.
Não percamos essa grande ocasião de Graça! E procuremos fazer com que ninguém perca.
Lembremo-nos que Ela mesmo, aparecendo com as mãos que projetavam raios luminosos, disse a Santa Catarina Labouré: "Estes raios são o símbolo das graças que Eu estendo sobre as pessoas que mo pedem".
 Os dias ficam mais leves de serem vividos quando entregamos tudo a Ela, pois Ela entrega tudo a Cristo, como São Luís Maria Grignon de Montfort escreveu em seu Tratado de Devoção: Maria, conhecendo Seu Filho, sabe como melhor entregar nossos pedidos e agradecimentos a Cristo.
Aos pés de Maria achamos a fonte de todas as graças e da santidade.
Foi num 13 de Maio que a Divina Providência escolheu para enviar à esta humanidade sua Celestial mensageira em Fátima, Portugal, para manifestar a nós através de três humildes crianças a vontade de Deus e os avisos para o futuro do mundo!
As visitas aos santuários da Mãe de Deus durante o mês de Maio têm muito valor. Quantas conversões exatamente devido a essas romarias! Quantas graças os romeiros alcançam de Nossa Senhora! Se houver alguém em casa, seja dentre os pais ou parentes, que não praticam a religião, consigam que visite a Virgem Santa. E a conversão se efetuará...
Certa vez um monge estava agonizando cercado de seus irmãos de hábito, para assisti-lo nos últimos momentos, o moribundo sorria feliz e tranqüilo.
Vendo-o nesse estado, em hora tão tremenda, disse-lhe um dos assistentes:
- Que é isto, meu irmão? nosso Pai S.Bernardo, em igual ocasião, tremia apavorado, e tu estás rindo?
- Ah!, meu irmão, respondeu o agonizante, como não hei de me alegrar? Tenho aqui presente Nossa Senhora, que me dá forças e vence o demônio! E expirou com doce sorriso nos lábios.
Maria Santíssima socorre seus devotos sempre, e principalmente na hora extrema da morte em que os inimigos da salvação de tudo fazem para nos perder.
O amigo da Mãe celestial não precisa temer a morte.
 PARA UM MÊS DE MAIO FRUTUOSO:
Se empenhar para levar alguém à Igreja durante o mês mariano;
Recitar o Rosário para que muitos dediquem o mês de maio a Maria;
Rezar a São José, para que nos ensine nesse mês de maio a amar Nossa Senhora;
Oferecer a Nossa Senhora nossas alegrias, sofrimentos e orações pela conversão dos pecadores.