.

.

segunda-feira, 30 de abril de 2012

MAIO: MÊS DEDICADO A NOSSA SENHORA
Os que ensinam e divulgam os louvores de Maria brilharão como estrelas por toda a eternidade!  (cf. Dan 12,3)
Todo o filho, em todos os momentos, principalmente nos mais difíceis, primeiramente, recorrem à mãe; com Nossa Senhora não pode ser diferente. Recorramos a Ela em todas as nossas necessidades e, refugiemo-nos debaixo da Sua protecção.
Somos filhos muito queridos de Maria, porque lhe custámos muitas dores. Fomos gerados aos pés da Cruz para sua Maternidade espiritual.  Em geral, as mães têm mais predileções pelos filhos cuja vida mais trabalho e dores lhe custou.
Pelo ano de 1604, viviam na cidade de Flandres (França) dois jovens estudantes que, descuidando dos estudos, se entregavam a orgias e devassidões.
Certa noite após frequentarem boates e lugares impuros, um deles, chamado Ricardo, retirou-se para casa, e o outro ficou. Chegando Ricardo em casa, estava para acomodar-se, quando se lembrou que não havia rezado umas Ave-Marias, como era de seu costume fazê-lo desde muito jovem em honra da Santíssima Virgem. Inebriado pelo sono, sem nenhuma vontade para rezar, fez, contudo, um esforço e rezou as Ave-Marias, embora sem devoção e por entre bocejos, deitou-se e depois adormeceu.

Mas não tardou a ouvir bater à porta com muita força. Imediatamente, sem ele a abrir, vê diante de si seu companheiro de farras, mas desfigurado e medonho.__ Quem és tu? – perguntou aterrorizado.__ Tu não me conheces? – respondeu o outro.__ Mas como mudaste tanto? Tu pareces um demônio.!_ Ai, pobre de mim! – exclamou aquele infeliz, - que ao sair daquele baile infame, veio um demônio e me sufocou. O meu corpo ficou no meio da rua, e a minha alma está no inferno.
Sabes, pois, acrescentou, que o mesmo castigo esperava também a ti. Mas a bem-aventurada Virgem, pelo teu pequeno sacrifício das Ave-Marias, te livrou dele. Feliz de ti, se tu souberes aproveitar deste aviso, que a Mãe de Deus te manda por mim!
Depois destas palavras, o condenado entreabriu a capa e mostrou as chamas e as serpentes que o atormentavam e desapareceu.
Então Ricardo, chorando copiosamente, com o rosto em terra, deu graças a Maria, sua libertadora. Enquanto pensava como mudar de vida, E foi pedir aos frades que o recebessem. Dois religiosos foram à rua indicada, achando efetivamente o cadáver do companheiro, sufocado e negro como um carvão. Depois disso foi Ricardo admitido e levou uma vida penitente e exemplar.
Mais tarde foi como missionário pregar na Índia e em seguida no Japão, onde teve finalmente a graça de morrer mártir, queimado vivo por amor de Jesus Cristo.
Conta o evangelista S. Mateus, no capitulo doze, versículo 10 a 14 que Jesus, entrando na sinagoga (casa de orações dos judeus), encontrou um homem que tinha seca uma das mãos. Teve pena dele e disse-lhe "Estende a tua mão’’.Tendo-a estendido, Jesus restituiu-lha sã como a outra.
Extraordinário milagre! Grande bondade de Jesus.
Coisa semelhante conta-se na vida de S. João Damasceno, célebre Doutor da Igreja. Esse Santo, falecido em 780, era primeiramente prefeito da cidade Damasco, na Síria. Depois abandonou tudo (pois lera no Evangelho que é muito difícil um rico ganhar o céu) e fez-se sacerdote. No tempo de imperador Leão Isauro publicou-se leis perversas contra o culto das imagens.
Foi proibido venerar Nossa Senhora e os Santos. Grupos de pessoas, por ordem do imperador, andavam espedaçando todas as imagens que encontrassem. (Esses homens são chamados iconoclastas, isto é, destruidores de imagens). S. João, que sabia escrever muito bem, defendeu publicamente o culto e a veneração das imagens sagradas.
O governador de Damasco, cheio de ira, não podendo contra o zelo e o saber do Santo, mandou prende-lo e corta-lhe mão direita. Sem essa mão não poderia mais escrever.
Que faz S. João Damasceno? Devotíssimo de Nossa Senhora dirige-se a uma linda imagem, levando com a esquerda a mão decepada.
Aos pés de Maria, fez a prece seguinte:
-Minha boa Mãe, a Senhora sabe por que perdi a mão.
Foi para defendê-la. Se a Senhora me restituir, continuarei a combater os inimigos até a morte’’.
A boníssima Mãe não esperou que repetisse o pedido.
"Meu filho – disse-lhe ternamente – tua mão está curada, faze dela bom uso, conforme prometeste".
E a mão estava unida ao antebraço, deixando apenas ver uma leve cicatriz. Quem não vê nisso imensa bondade da Mãe de Deus e dos homens?
Um dia conta-se na vida de S. João Vianney, entre os peregrinos, estava à espera na igreja uma senhora de luto pesado. Encontrava-se muito aflita. O marido, irreligioso, tinha-se suicidado de uma ponte abaixo, morrendo sem os sacramentos. O Santo passa. E, antes mesmo de ela lhe falar, inclina-se ao ouvido e diz: “Está salvo!” A senhora perturba-se “Está salvo, digo-lhe eu”. A resposta é um gesto de descrença. Então o Santo, articulando bem cada palavra, acrescentou: “Afirmo-lhe que está salvo”. Encontra-se no purgatório e é preciso orar por ele. Entre a ponte e a água teve tempo de fazer um ato de contrição.
Lembre-se do altar, erguido em seu quarto durante o mês de Maio. Algumas vezes o seu esposo, apesar de irreligioso, uniu-se às orações. Foi isso que lhe mereceu o arrependimento e um supremo perdão”.



sábado, 28 de abril de 2012

“BUSCAI O SENHOR ENQUANTO SE PODE ACHAR!.” (Isaías 55.6)
Vinde a Mim, vós que estais cansados e oprimidos e EU vos aliviarei, disse Jesus!
«Deus fez o homem à Sua imagem e à Sua semelhança» (Gn 1, 26)… Cabe-nos pois a nós refletir, para o Nosso Deus, para o nosso Pai, a imagem da Sua santidade…e, para que não inscrevamos em nós a imagem do orgulho, deixemos que o próprio Cristo pinte em nós a Sua imagem.
Muito frágil é a paz que se pode perder por uma palavras apressada ou uma pequena mágoa infligida a um irmão.
«A plenitude da lei é o amor» (Rm 13, 8).
 Quando O buscamos de coração sincero, não encontramos necessariamente o que para nós é de suma importância no momento, ou seja, o atendimento das nossas orações, pois para o Senhor isso não tem prioridade.
O importante é que nos acheguemos ao Senhor. E, ao encontrarmos o Senhor, encontramos tudo! Assim teremos encontrado a resposta aos nossos anseios. Quando O encontramos, possivelmente nossos problemas, perguntas e dificuldades ainda não estarão solucionados, mas estaremos interiormente libertos dos problemas e conseguiremos nos distanciar das dificuldades.
Quando O encontramos, Ele age em nossa vida. O Senhor nos diz: “…o que me acha acha a vida.”
“Em torno de 6% da população mundial entre 15 e 64 anos utiliza drogas, enquanto 1% consome estimulantes do grupo anfetamínico, cocaína e opiáceos”, diz o relatório das Nações Unidas. “O consumo de heroína é problema em 75% dos países do planeta”. Já o uso abusivo do álcool é grande também desde a adolescência, invadindo as universidades e as rotinas familiares. A venda de tranquilizantes no Brasil, por exemplo, bate recordes em todo o mundo, mesmo com receita médica.
Essa busca pela “paz interior” — mesmo provisória e com sérias consequências para a saúde e para a alma — é agravada por outros fatores que compõem o painel quase surrealista da sociedade moderna longe de Deus e dos valores defendidos pela Santa Igreja.
É muito comum que as pessoas se voltem para Deus nos momentos difíceis, de angústia e de sofrimento, e nesses momentos é certo que na busca não temos por objetivo e fundamento um encontro com Deus, mas sim a solução imediata dos nossos problemas ou do que ele pode fazer em nosso favor.
(Deuteronômio 5:10) - "E faço misericórdia a milhares dos que me amam e guardam os meus mandamentos." 
Deus é justo, ele usa de um procedimento de avaliação quando o buscamos, e os parâmetros com certeza se baseiam nos estado emocional da alma no momento em que nos encontramos quando o buscamos, e a partir de nossa condição ele começa a agir, e a primeira coisa que ele faz é trazer o alivio e a paz que nos falta, mas seu objetivo é sempre nossa salvação eterna!
 “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”
(S.João 3:16)

segunda-feira, 23 de abril de 2012

RADICALISMO NO AMOR
Na história da Igreja houve muitos radicalismos no amor, todos contidos no supremo radicalismo de Cristo Jesus.
 Certamente, o amor é o início de muitos movimentos, muitas estruturas, de todo o apostolado, de muitas famílias religiosas. O amor é rico! Traz em si várias potencialidades e difunde nos corações humanos os diversos carismas.
No mundo de hoje, na vida das Nações, da sociedade, dos diversos ambientes e das pessoas, o ódio e a luta são muito fortes. Então, de nós é exigido o amor e uma resposta de amor.
 O amor é mais forte. É uma revolução! Neste mundo tão turbulento por causa das revoluções, cujo princípio é constituído pelo ódio e pela luta, se requer a revolução do amor; é necessário que tal revolução se demonstre mais forte. Este é o radicalismo do amor!
 Houve o radicalismo de São Francisco, Clara de Assis, de Santo Inácio de Loyola, de Charles de Foucauld, Teresa de Calcutá e de tantos outros até os nossos dias.
Faz parte do sonho de boa parte das meninas e adolescentes, construir uma carreira de modelo, cantora, artista, jogador de futebol, etc.; porém quando diz respeito a ser “irmã”, religioso (a) o objetivo parece estar longe de suas expectativas...Para alguns, perguntar:  o que você vai ser quando crescer? Não se sabe resposta, uma vez que querem tudo ao mesmo tempo.
Em meio a tanto barulho, parece contraditório falar em “ouvir a voz de Deus”.
  Vocação significa “talento”, Chamado para uma "ação", mas o significado vai muito mais além, uma vez que representa o chamado de Deus, a fim de sermos capacitados a seguir nosso caminho como construtores do seu Reino, através do Espírito Santo.
Muitos dos nossos irmãos vivem hoje como se não houvesse um Além, sem se importar com a própria salvação eterna. Os homens são chamados a aderir ao conhecimento e ao amor de Deus, e a Igreja tem a missão de os ajudar nesta vocação.
Bem sabemos que Deus é Senhor e a conversão dos homens é obra da graça, mas somos responsáveis pelo anúncio da fé! Pois nosso exemplo e testemunho, move, arrasta e transforma os corações!
São João Maria Vianney quis ser sacerdote para: «Ganhar as almas para o Bom Deus», declarava ele ao anunciar a sua vocação, aos dezoito anos de idade, tal como S. Paulo dizia: «Ganhar a todos» (1 Cor. 9, 19).
O Vigário Geral tinha-lhe dito: «Não há muito amor de Deus na paróquia, vós introduzi-lo-eis». E, na sua paixão sacerdotal, o santo pároco era misericordioso como Jesus no encontro com cada pecador. Preferia insistir sobre o lado atraente da virtude, sobre a misericórdia de Deus diante da qual os nossos pecados são «grãos de areia». Mostrava a ternura de Deus ofendida.
Neste caminho guia-nos e acompanha-nos a Bem-aventurada Virgem Maria. Com Ela e como Ela somos livres para ser santos; livres para ser pobres, castos e obedientes; livres para todos, porque desapegados de tudo; livres de nós mesmos para que em cada um cresça Cristo, o verdadeiro consagrado do Pai. 


domingo, 22 de abril de 2012

MILAGRES DO ROSÁRIO
“O Santo Rosário é a mais bela de todas as orações, a mais rica em graças e a que mais agrada a Santíssima Virgem. Os erros modernos serão destruídos pelo Rosário.”
Não é possível expressar quanto a Santíssima Virgem estima o Rosário sobre todas as demais devoções, o Rosário é manancial de maravilhosos frutos e depósito de toda espécie de bens.
Através dele, os pecadores obtêm o perdão; as almas sedentas se saciam; os que choram acham alegria; os que são tentados, a tranqüilidade; os pobres são socorridos; os religiosos, reformados; os ignorantes, instruídos; os vivos triunfam da vaidade, e as almas do purgatório (por meio de sufrágios) encontram alívio. Perseverai, portanto, nessa santa devoção, e tereis a coroa admirável preparada no Céu para a vossa fidelidade.
É insistente o pedido de Nossa Senhora de Fátima que, praticamente em todas as aparições pede aos Pastorinhos que rezem o terço todos os dias. Ela que, na sexta aparição, apresenta-se como Nossa Senhora do Rosário.
"Todas as graças dadas por Deus passam pela sua Bem-Aventurada Mãe."
(Santo Padre Pio)
O Terço é , sem dúvida, a prática mais insistentemente recomendada por Nossa Senhora.

Mas ela se dignou assinalar algumas características especiais para a eficácia da oração:
Finalidade: Pela paz do mundo e a conversão dos pecadores.
Modo: Que se meditem os mistérios, condição necessária para merecer a grande promessa dos cinco primeiros sábados do mês. Nos intervalos dos mistérios se reze a oração: "Ó meu Jesus perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno, levai as almas todas para o céu, socorrei principalmente as que mais precisarem de vossa misericórdia!"
Espírito: Em reparação das ofensas que se fazem ao Coração Imaculado de Maria.
Um exemplo concreto da eficácia do Terço o temos em Francisco, o pequeno pastorzinho de Fátima. Quando Lúcia perguntou à Virgem se ele iria ao Céu, a Virgem lhe respondeu: "Sim, Francisco também irá para o Céu, mas terá que rezar muitos Terços". Ele, feliz, manifestando como se sentia alegre pela promessa de ir ao Céu, cruzando as mãos sobre o peito dizia: "Ó minha Mãe,terços rezo todos os que Vós queirais". E desde então tomou o costume de separar-se de nós como passeando e, se alguma vez o chamava e lhe perguntava o que estava fazendo, levantava o braço e me mostrava o Terço. Se lhe dizia que viesse a brincar, que depois rezaríamos todos juntos, respondia: "Depois rezo também. Não lembras que Nossa Senhora disse que eu tinha que rezar muitos Terços?"
O Terço foi para Francisco o meio de ganhar o Céu.
A Irmã Lúcia disse: Os dois meios para a salvação do mundo são a oração e o sacrifício.Sobre o Santo Rosário, a Irmã Lúcia disse: A Santíssima Virgem, nestes últimos tempos em que vivemos, deu uma nova eficácia à recitação do Rosário. E deu-nos esta eficácia de tal maneira que não há problema temporal ou espiritual, por mais difícil que seja, na vida pessoal de cada um de nós, das nossas famílias, das famílias do mundo ou das comunidades religiosas, ou mesmo da vida dos povos e nações, que não possa ser resolvido pelo Rosário.
Não há problema, afirmo-lhe, por mais difícil que seja, que não possamos resolver rezando o Rosário.
Com o Rosário, salvar-nos-emos. Santificar-nos-emos. Consolaremos a Nosso Senhor e obteremos a salvação de muitas almas.
video




sábado, 21 de abril de 2012

OLHE-ME !
Sou a Amada pela Trindade. Tu me persegues. Agora basta!
Olhe-me,
Estou na sua frente,
sou uma mãe
com seu bebê
nos braços ...
Não lhe peço nada,
vim para lhe oferecer...
minhas mãos cheias de carícias,
meu colo esperando sua cabeça
onde podes descansar;
meu manto para enxugar suas lágrimas.
Levante sua cabeça e olhe-me,
no fundo de meus olhos.
Encontrarás tudo o que está procurando e,
ao abrir o cofre que lhe dou,
tire dele o grande amor que ali guardo
e entregue-o para toda a humanidade.
Maria é o primeiro Sacrário vivo onde o Pai encerrou o  Verbo encarnado. O Seu Coração Imaculado foi a primeira custódia que o guardou. O Seu regaço e os seus braços foram o primeiro altar e o primeiro trono sobre o qual o Filho de Deus, feito homem, foi adorado.
 Aí o adoraram os Anjos, os Pastores e os sábios da terra. Maria é a primeira que tomou em suas mãos, puras e imaculadas, o Filho de Deus; o conduziu ao Templo, para oferecê-Lo ao Pai, como vítima pela salvação do mundo.
A oração do Rosário ou Terço é, depois da Sagrada Liturgia Eucarística, a que mais nos une com Deus, pela riqueza das orações de que se compõe, todas elas vindas do Céu, ditadas pelo Pai, pelo Filho e pelo Espírito Santo.
O Pai-Nosso foi-nos ditado pelo Filho, e é uma oração dirigida ao Pai.
O Glória, que rezamos em todos os mistérios, foi ditada pelo Pai aos Anjos, quando os enviou a cantá-la junto do Seu Verbo recém-nascido, e é um hino à Trindade.
A Ave-Maria é, toda ela, impregnada de sentido Trinitário e Eucarístico: As primeiras foram ditadas pelo Pai ao Anjo, quando O enviou a anunciar o mistério da Encarnação do Verbo.
Movida pelo Espírito Santo, disse Santa Isabel: “Bendita sois Vós, entre as mulheres, e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus”: Se sois bendita, é porque é bendito o fruto do vosso ventre, Jesus. ( Lc. 1,42)
É oração Trinitária sim, porque Maria foi o primeiro Templo vivo da Santíssima Trindade: “O Espírito Santo descerá sobre Ti, — O Pai Te cobrirá com a Sua sombra, — E o Filho, que de Ti nascer, será chamado o Filho do Altíssimo”.
Assim, a oração do Terço é, depois da Sagrada Liturgia Eucarística, a que mais nos introduz no mistério íntimo da Santíssima Trindade e da Eucaristia; a que mais nos traz ao espírito os mistérios da Fé, da Esperança e da Caridade.
Ela é o pão espiritual das almas; Quem não ora, definha e morre.
Por isso o demônio lhe tem feito tanta guerra! E o pior é que tem conseguido iludir e enganar almas cheias de responsabilidade, pelo lugar que ocupam!


domingo, 15 de abril de 2012

A MÃE DE DEUS EM LUXEMBURGO
O amor fiel da Mãe e Rainha para com o povo de Luxemburgo a leva de volta para esse país Europeu.

No ano de 2005, no Santuário Original de Schoenstatt na Alemanha, foi enviada a primeira Imagem Peregrina da Mãe Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável para Luxemburgo. Uma senhora do Brasil, que por motivos de trabalho estava em Luxemburgo, assumiu a tarefa como missionária dessa imagem.
Depois de alguns anos porém, esta missionária voltou ao Brasil e, infelizmente, perdeu-se o contato com ela, 'até já havíamos nos “conformado” com a perda da imagem' afirma a irmã de Maria responsável pelo Movimento.
Em outubro de 2011, uma missionária da Mäe Peregrina de Portugal e que tem uma filha e outros familiares que moram em Luxemburgo tinham interesse em iniciar ali o trabalho da Mãe Peregrina. Era um sinal de que a Mãe de Deus queria “voltar” para Luxemburgo!
Neste mesmo período, é encontrada no fundo de uma Igreja do Brasil a antiga capelinha que havia sido enviada 5 anos antes em Luxemburgo e havia sido considerada 'perdida'!
Impressiona muito não apenas a “precisão” de Deus que, justamente agora, que a imagem havia retornado, despertou em outras pessoas de Luxemburgo, o desejo de iniciar este trabalho, mas, também a fidelidade de nossa Mãe, que foi até o Brasil e retornou para a missão que havia assumido junto ao povo de Luxemburgo!
Todos estavam fascinados pelo amor tão fiel de Maria a este povo e, com imensa responsabilidade, assumiram a tarefa de “levá-la de volta” para o seu país!
Nos anos 30, um sacerdote de Luxemburgo, Pe. Dür, ouve falar da espiritualidade de Schoenstatt e, profundamente entusiasmado por seus ideais, constrói, na pequena cidade de Diekirch, uma Capelinha em honra da Mãe e Rainha de Schoenstatt. Ele cuidava com grande amor desse lugar.
Para nós tornou-se então claro: desde 1938 a Mãe de Deus está presente em Luxemburgo e aceitou o pedido deste Sacerdote para permanecer e atuar ali.
Para nós, é uma alegria muito grande poder “conhecer” os caminhos de nossa querida Mãe Três Vezes Admirável (MTA) - Ela é fiel. E sempre de novo nos mostra que nossas contribuições ao Capital de Graças – cedo ou tarde, no momento certo – darão os seus frutos!
No momento, já foi realizado o envio da terceira Imagem Peregrina para esse país.
Rezemos com muita confiança, pedindo que nossa Mãe nos torne fiéis e dignos de lhe ajudar na construção de seu Reino em Luxemburgo e em toda Europa!

domingo, 8 de abril de 2012

DEUS CASTIGA OU NÃO ?
Deus é misericórdia mas também é Justiça. Como um pai que corrige o filho para o educar, é óbvio que Deus castiga.
Nós, católicos, sabemos que o fim último ao qual deve almejar o ser humano não é a preservação da própria vida física, e sim a salvação da sua alma.

Nenhum governo ou instituição conseguiu até agora alcançar uma paz duradoura para o nosso mundo, devastado pela guerra. Isto é assim porque Deus determinou que a paz virá através de apenas uma fonte: das mãos da Bem- Aventurada Virgem Maria. E só obedecendo aos pedidos, simples e ao mesmo tempo profundos, que Ela fez em Fátima é que Ela concederá uma paz verdadeira à humanidade.
Só no ano 2000, os Estados Unidos da América exportaram para os países do Terceiro Mundo armamento no valor de 798 mil milhões de dólares. Este dinheiro podia ter sido aplicado em remédios, em fábricas de dessalinização da água, em comida e na agricultura. Quando tivermos alcançado a paz que Nossa Senhora nos dará com o Triunfo do Seu Imaculado Coração, então usaremos os nossos recursos para ajudar os homens em vez de lhes fazer mal.
Se continuarmos a agir de forma pecaminosa e não nos arrependermos e voltarmos contra o pecado, Deus traz a Sua disciplina divina sobre nós. Se não o fizesse, Ele não seria um Pai amoroso e preocupado. Assim como disciplinamos os nossos próprios filhos para o seu bem-estar, assim também o nosso Pai celestial amorosamente corrige os Seus filhos para o seu bem.
 Hebreus 12:7-11 diz: "Suportem as dificuldades, recebendo-as como disciplina; Deus os trata como filhos. Pois, qual o filho que não é disciplinado por seu pai? Se vocês não são disciplinados, e a disciplina é para todos os filhos, então vocês não são filhos legítimos, mas sim ilegítimos. Além disso, tínhamos pais humanos que nos disciplinavam, e nós os respeitávamos. Quanto mais devemos submeter-nos ao Pai dos espíritos, para assim vivermos! Nossos pais nos disciplinavam por curto período, segundo lhes parecia melhor; mas Deus nos disciplina para o nosso bem, para que participemos da sua santidade.
Nenhuma disciplina parece ser motivo de alegria no momento, mas sim de tristeza. Mais tarde, porém, produz fruto de justiça e paz para aqueles que por ela foram exercitados."
A disciplina, então, é o que Deus usa para tirar os Seus filhos da rebelião à obediência. Através da disciplina os nossos olhos se abrem de forma mais clara à perspectiva de Deus em nossas vidas.
Infelizmente, é bem frequente nos dias atuais, muitas vozes se levantarem e propagarem a idéia contrária à doutrina católica de que Deus não castiga.Deus castiga! Deus castiga sim!
Aliás, como os católicos de hoje precisam ouvir sermões que os façam lembrar exatamente isso: Deus castiga.Quantas páginas da Bíblia teríamos que desmerecer se quiséssemos entender que Deus não castiga? O que foi o dilúvio, Sodoma e Gomorra e tantos outros episódios?
O que é o inferno, senão o castigo para os impenitentes finais?
E se Deus não castigasse, porque afastou o Demônio de sua presença ETERNAMENTE?
Cristo estaria blefando então, ao amedrontar-nos tantas vezes sobre a Geena, o lago de fogo, se ele não existisse?
Infelizmente não poucos católicos que já não acreditam no inferno, na perdição final.
Vem-nos então a questão se a interpretação da Igreja mudou?
Não. É impossível que a Igreja, os Santos Papas, os grandes doutores da Igreja tenham interpretado errado e pregado essa doutrina indevidamente por vinte séculos. E mesmo com punições temporais Deus está a punir-nos: "Eu repreendo e castigo a todos quanto amo." (Ap 3, 19)
Deus determinou que a paz virá através da Consagração da Rússia e do Triunfo do Imaculado Coração de Maria. Portanto, a paz que a Consagração da Rússia virá trazer não será política, mas antes uma extensão da paz que decorre de uma unidade de mentes, corações e vontades à escala mundial: uma paz católica. Para usar uma frase de Pio XI, será "a paz de Cristo no Reino de Cristo, por meio de Maria!"

sexta-feira, 6 de abril de 2012

SALVAI-VOS DESTA GERAÇÃO PERVERSA!     (At 2:40)
Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo - Filipenses 2:15.
Está na moda ser "crente". A explosão de movimentos "gospel'" protestantes trouxe à nossa geração as facilidades para que uma enorme parcela da sociedade passasse a ver as igrejas evangélicas com bons olhos, A igreja evangélica nos dias atuais não está mais incomodando o pecador com mensagens de juízo e de arrependimento.
Existem igrejas para todos os gostos e vontades. Hoje em dia, é possível ser evangélico sem deixar de ser jogador de futebol; sem deixar de frequentar e até tocar em boates; sem deixar de ser artista de teatro ou televisivo. Ninguém precisa mais se importar com questões relativas à aparência, aos usos e costumes e a tantas outras proibições.
 Hoje, é possível ao jovem "evangélico" frequentar cinemas, motéis e outros locais que, a vinte ou trinta anos atrás, era rigorosamente proibido. O importante é a quantidade , Igrejas lotadas, mídias, programas de TV e dízimos altos!
EM SENTIDO CONTRÁRIO, assim como o batismo purifica do pecado, assim também a penitência. Daí se entende o que Pedro disse a Simão: “Faça penitência, portanto, da tua maldade” (At 8, 22).
Na terceira aparição de Nossa Senhora de Fátima no dia 13 de Julho de 1917 o sol se ofuscou. Uma brisa fresca soprou sobre a terra, apesar de ser o auge do verão. Os pastorinhos viram o reflexo da luz – como nas aparições anteriores – e, em seguida, viram Nossa Senhora sobre a arvorezinha chamada azinheira.
Então, Lúcia pergunta a Nossa Senhora:
Vossemecê que me quer?
Nossa Senhora respondeu:
"Quero que venham aqui no dia 13 do mês que vêm, que continuem a rezar o Terço todos os dias, em honra de Nossa Senhora do Rosário, para obter a paz do mundo e o fim da guerra, porque só Ela lhes poderá valer”.
Lúcia: Queria pedir-lhe para nos dizer quem é, e para fazer um milagre, com que todos acreditem que vossemecê nos aparece.
Nossa Senhora: Continuem a vir aqui todos os meses. Em Outubro direi quem sou, o que quero, e farei um milagre, que todos hão de ver para acreditarem.
Lúcia fez alguns pedidos de conversões, de curas e de outras graças.
Nossa Senhora responde recomendando sempre a reza do Terço, que assim alcançariam as graças durante o ano.
Depois acrescentou:
Nossa Senhora: “Sacrificai-vos pelos pecadores e dizei muitas vezes, e em especial sempre que fizerdes algum sacrifício:
Ó Jesus, é por Vosso amor, pela conversão dos pecadores, e em reparação pelos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria”.
Ao dizer estas últimas palavras, abriu de novo as mãos, como nos meses anteriores.
“O reflexo de luz (que delas saía) pareceu penetrar na terra. E vimos como que um grande mar de fogo. E, mergulhados nesse fogo, estavam os demônios e as almas, como se fossem brasas transparentes e negras ou bronzeadas, com forma humana, que flutuavam no incêndio, levadas pelas chamas que delas mesmas saíam, juntamente com nuvens de fumo, caindo para todos os lados – semelhante
ao cair das fagulhas nos grandes incêndios – sem peso nem equilíbrio, entre gritos e gemidos de dor e desespero, que horrorizavam e faziam estremecer de pavor. Os demônios distinguiam-se por formas horríveis e asquerosas de animais espantosos e desconhecidos, mas transparentes como negros carvões em brasa.
A visão durou apenas um momento, durante o qual Lúcia soltou um
Lúcia: “Ai!”
Assustados, e como a pedir socorro, as três crianças levantaram os olhos para Nossa Senhora, que lhes disse, com bondade e tristeza:
Nossa Senhora: “Vistes o inferno, para onde vão as almas dos pobres pecadores. Para salvá-las, Deus quer estabelecer no mundo a devoção ao Meu Imaculado Coração.
Se fizerem o que eu vos disser, salvar-se-ão muitas almas e terão paz.
A guerra vai acabar. Mas, se não deixarem de ofender a Deus, no reinado de Pio XI começará outra pior. Quando virdes uma noite iluminada por uma luz desconhecida, sabei que é o grande sinal que Deus vos dá, de que vai punir o mundo de seus crimes, por meio da guerra, da fome, e de perseguições à Igreja e ao Santo Padre. Para impedir isso, virei pedir a consagração da Rússia ao meu Imaculado Coração, e a Comunhão Reparadora nos Primeiros Sábados.
Se atenderem a meus pedidos, a Rússia se converterá e terão paz. Se não, espalhará os seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja.
Os bons serão martirizados. O Santo Padre terá muito que sofrer. Várias nações serão aniquiladas.Por fim, o meu Imaculado Coração triunfará. O Santo Padre consagrar-me-á a Rússia, que se converterá, e será concedido ao mundo algum tempo de paz.
Em Portugal, conservar-se-á sempre o dogma da Fé... Isto não digais a ninguém. Ao Francisco sim, podeis dizê-lo.
E, passados uns instantes, Nossa Senhora disse aos pastorinhos:
Nossa Senhora: Quando rezardes o terço, dizei depois de cada mistério:
Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno, levai as almas todas para o Céu, principalmente aquelas que mais precisarem”.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

EIS O CORDEIRO DE DEUS QUE TIRA OS PECADOS DO MUNDO!
Nós Vos adoramos e Vos bendizemos, ó Jesus,
que remistes o mundo pela Vossa Santa Cruz.
O sol esconde-se.
A terra em trevas parece prestes a estremecer de horror.
Um brado de dor partido de vosso peito sobe até o Céu:
"Meu Deus, meu Deus, por que Me abandonastes?"
É a hora do triunfo supremo da iniquidade.
O Senhor morreu. Se entregou por amor aos homens!
Vossa cabeça, Jesus pende inerte.
Uma paz majestosa, suavíssima e divina se mostra em todo o Vosso Corpo.
Maria Santíssima, que tudo vê e tudo sente, chora e silencia.
Tudo se consumou.
Talvez pela simplicidade de sua forma, a cruz foi um dos símbolos mais antigos e mais conhecidos entre os povos e bem mais tarde apareceu como forma de suplício cruento. Era usada como instrumento de tortura e morte primeiramente pelos persas, depois pelos gregos e finalmente pelos romanos. Nas antigas religiões percebia um significado místico: para os egípcios simbolizava a vida, na Índia, felicidade e boa sorte. Para os judeus, o “T”, que não deixa de ser cruz, era sinal de salvação e proteção.

Por este seu gesto, Jesus dá um sentido novo à cruz. Ela deixa de ser sinal de condenação e se torna, a partir Dele e com Ele, instrumento de salvação. Na cruz o pecado é crucificado para produzir, no pecador resgatado, vida em abundância.
Por isso, o apóstolo Pedro disse: “Cristo carregou os nossos pecados no seu corpo sobre a cruz, a fim de que, mortos para o pecado, vivêssemos para a virtude”
Portanto, ao contemplar a cruz do Senhor, não olhemos para ela apenas como um adorno ou uma representação, mas como sinal de compaixão, perdão, redenção, libertação e principalmente de amor.

Diversos textos bíblicos referem-se à cruz, à crucificação e ao crucificado: Jesus prediz a seus discípulos que seria crucificado; os judeus exigem a sua crucificação; Pilatos cede à pressão dos judeus e consente na morte de Jesus; após ser condenado injustamente, Cristo recebe a própria cruz e encaminha-se para o Calvário.
 Mas durante a dolorosa subida não está sozinho... Muitos, mesmo de longe e impotentes, O acompanham... Encontra sua mãe que o acompanha até o fim, o cirineu e Verônica. No topo do Calvário é crucificado entre dois malfeitores.
Depois de tanto sofrimento, na nona hora, isto é, às quinze horas, Jesus dirigiu-se ao Pai e bradou fortemente: “Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?” e “soltando um grande grito, expirou”.
As chamadas Sete Espadas (ou dores) desenvolvem-se por circunstâncias escolhidas na vida da Santíssima Virgem Maria:
Primeira Espada: Outra não é que a da profecia de Simeão.
Segunda Espada: A fuga para o Egito com o Menino Jesus.
Terceira Espada: A perda de Jesus em Jerusalém por três dias quando o salvador feito homem tinha 12 anos.
Quarta Espada: A prisão de Jesus e os julgamentos iníquos, pelos quais passou.
Quinta Espada: Jesus pregado na Cruz entre os dois ladrões e a morte.
Sexta Espada: A descida da Cruz.
Sétima Espada: A sepultura de Jesus.
Santa Brígida diz-nos, nas suas revelações aprovadas pela Igreja Católica, que Nossa Senhora lhe prometeu conceder sete graças a quem rezar cada dia, sete Ave-Marias em honra de suas principais "Sete dores" e Lágrimas, meditando sobre as mesmas.  
Eis as promessas:
1ª - Porei a paz em suas famílias.
2ª - Serão iluminados sobre os Divinos Mistérios.
3ª - Consolá-los-ei em suas penas e acompanhá-los-ei nos seus trabalhos.
4ª - Conceder-lhes-ei tudo o que me pedirem, contanto que não se oponha à vontade de meu adorável Divino Filho e à santificação de suas almas.
5ª - Defendê-los-ei nos combates espirituais contra o inimigo infernal e protegê-los-ei em todos os instantes da vida.
6ª - Assistir-lhes-ei visivelmente no momento da morte e verão o rosto de Sua Mãe Santíssima.
7ª - Obtive de Meu Filho que, os que propagarem esta devoção (às minhas Lágrimas e Dores) sejam transladados desta vida terrena à felicidade eterna, diretamente, pois ser-lhe-ão apagados todos os seus pecados e o Meu filho e Eu seremos a sua eterna consolação e alegria.


domingo, 1 de abril de 2012

ENTENDA O DOMINGO DE RAMOS E A SEMANA SANTA
O Domingo de Ramos marca o início da Semana Santa,  A festa comemora a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, um evento da vida de Jesus mencionado nos quatro evangelhos canônicos (Marcos 11:1, Mateus 21:1, Lucas 19:28 e João 12:12-19).
O povo acolheu Jesus agitando seus ramos de oliveiras e palmeiras. Os ramos significam a vitória: "Hosana ao Filho de Davi: bendito seja o que vem em nome do Senhor, o Rei de Israel; hosana nas alturas".
A Igreja recorda que o mesmo Cristo que foi aclamado como rei pela multidão no domingo, é crucifidado sob o pedido da mesma multidão na sexta. Assim, o Domingo de Ramos é um resumo dos acontecimentos da Semana Santa e também sua solene abertura.
A Procissão de Ramos tem como objetivo apresentar a peregrinação que cada cristão realiza sobre a Terra buscando a vida eterna ao lado do Senhor. Esse ato nos faz relembrar que somos peregrinos neste mundo e que o céu é o lugar de onde viemos e para onde devemos voltar.
O Mestre nos ensina com fatos e exemplos que o Seu Reino, de fato, não é deste mundo. Que Ele não veio para derrubar César e Pilatos, mas para derrubar um inimigo muito pior e invisível, o pecado. E para isso é preciso se imolar; aceitar a Paixão, passar pela morte para destruí-la; perder a vida para ganhá-la.
A Semana Santa é uma tradição Cristã CATÓLICA que celebra a Paixão, a Morte e a ressurreição de Jesus Cristo.
Na Quinta feira santa nas catedrais das dioceses, o bispo se reúne com o seu clero para celebrar a Celebração do Crisma, na qual são abençoados os óleos que serão usados na administração dos sacramentos do Batismo, Crisma e Unção dos Enfermos. Com essa celebraçã são relembrados os três gestos de Jesus durante a Última Ceia: a Instituição da Eucaristia, o exemplo do Lava-pés com a instituição do mandamento novo e a instituição do sacerdócio.
É neste momento que Judas Iscariotes sai para entregar Jesus por trinta moedas de prata. E é nesta noite em que Jesus é preso, interrogado e, no amanhecer da sexta-feira, açoitado e condenado.
A igreja fica em vigília ao Santíssimo, relembrando os sofrimentos de Jesus, que tiveram início nesta noite. A igreja já se reveste de luto e tristeza, desnudando os altares (quando é retirado todos os enfeites, toalhas, flores e velas), tudo para simbolizar que Jesus já está preso e consciente do que vai acontecer. Também cobrem-se todas as imagens existentes no templo.
Sexta-Feira Santa ou Sexta-Feira da Paixão
É quando a Igreja recorda a Morte do Salvador. É celebrada a Solene Ação Litúrgica, Paixão e Adoração da Cruz. A recordação da morte do Senhor consiste em quatro momentos: A Liturgia da Palavra, Oração Universal, Adoração da Cruz e Rito da Comunhão e onde são celebradas as Sete dores de Nossa Senhora Virgem Maria. 
É muito comum também por ser o dia de penitência.
Presidida pelo sacerdote ou bispo, os paramentos para a celebração são de cor vermelha.
Sábado Santo ou Sábado de Aleluia
É o dia da espera. Os cristãos junto ao sepulcro de Jesus aguardam sua ressurreição. No final deste dia é celebrada a Solene Vigília Pascal, a mãe de todas as vigílias, como disse Santo Agostinho, que se inicia com a Bênção do Fogo Novo e também do Círio Pascal; proclama-se a Páscoa através do canto do Exultet e faz-se a leitura de 8 passagens da Bíblia, percorrendo-se toda história da salvação, desde Adão até o relato dos primeiros cristãos.
 Entoa-se o Glória e o Aleluia, que foram omitidos durante todo o período quaresmal. Há também o batismo daqueles adultos que se prepararam durante toda a quaresma. A celebração se encerra com a Liturgia Eucarística, o ápice de todas as Missas.
Domingo de Páscoa
É o dia mais importante para a fé cristã, pois Jesus vence a morte para mostrar o valor da vida. Esse dia é estendido por mais 50 dias até o Domingo de Pentecostes.
“No mundo haveis de ter aflições.
Coragem!
Eu venci o mundo”. (Jo. 16,33).