.

.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

O BRASIL NASCEU CATÓLICO
Única nação no mundo a nascer com uma Santa Missa, o Brasil foi predestinado pela Divina Providência a ser a Terra de Santa Cruz.
O cristianismo chegou no Brasil já no descobrimento e lançou profundas raízes na sociedade a partir do período da colonização por volta do ano 1500.
A principal religião do Brasil, desde o século XVI, tem sido o catolicismo romano. Ela foi introduzida por missionários que acompanharam os colonizadores portugueses nas terras do país recém-descoberto.
O Brasil é considerado o maior país do mundo em número de católicos nominais, com 73,8% da população brasileira declarando-se católica.
Durante o período de colonização, ordens e congregações religiosas assumem serviços nas paróquias e dioceses, a Igreja inicia o processo de educação nos colégios, a evangelização dos indígenas e insere-se na vida do país.
Não foi sem razão que a Providência Divina fez nascer um país de dimensões continentais, de possibilidades fabulosas, de riquezas naturais inesgotavelmente fecundas.
Um país banhado pelo Cruzeiro do Sul, catequizado pelos zelosos Beatos José de Anchieta e Padre Manoel da Nóbrega, Nação batizada com o nome de Vera Cruz e tendo como primeiro ato oficial, uma Santa Missa celebrada por Frei Henrique Soares de Coimbra.
Em 21 de abril de 1500 por volta das 15h, “horas de véspera”, um primeiro marujo pronuncia a famosa e esperada sentença: “Terra à vista”. Estava descoberto o país destinado a ser a maior nação católica da Terra!
 No meio do alvoroço das comemorações, o capitão, Pedro Alvares Cabral, de 32 anos, retira-se para o altar que havia mandado fazer em honra da imagem de Nossa Senhora da Esperança, que ele próprio escolhera como padroeira da viagem, e ajoelhado, reza!
Não é explicável a enorme expansão de Portugal somente por razões econômicas ou políticas. Além de buscar especiarias nas Índias, Portugal levava consigo missionários para converter os povos à verdadeira religião.
Ao contrário da África, onde Portugal deixava seus padrões de pedra (sinal de sua posse), aqui ele deixou a Cruz com as insígnias reais, a primeira Cruz, feita com a ajuda dos indígenas.
"...E hoje, que o Brasil emerge de sua adolescência para a maturidade, e titubeia nas mãos da velha Europa o cetro que o totalitarismo quereria destruir, aos olhos de todos se patenteia que os países católicos da América são, na realidade, o grande celeiro fecundo onde poderão reflorir, com brilho maior do que nunca, as plantas que a barbárie devasta no velho mundo.
A América inteira é uma constelação de povos irmãos. Nessa constelação, inútil é dizer que as dimensões materiais do Brasil não são senão uma figura da magnitude de seu papel providencial." (Prof. Plínio Correia de Oliveira)
Mas esta grandeza futura tem uma condição. Será grande a nossa história se soubermos ser fiéis aos desígnios de Deus e a Seu chamado. O que se enquadra no panorama grandioso da Mensagem de Fátima.
Que Nossa Senhora da Conceição Aparecida, Rainha e Padroeira do Brasil, interceda para que a Terra de Santa Cruz possa ser um luzeiro sobre o mundo, irradiando o Lumen Christi (Luz de Cristo) e a Lumem Mariae (Luz de Maria), entre as nações, realizando plenamente a esplendorosa missão que lhe está reservada pela Providência Divina.

domingo, 28 de agosto de 2011

A UTILIDADE DAS IMAGENS!
É inegável o poder educativo da imagem:
É a arte a serviço da evangelização! a TV (imagem) não suplantou o rádio (palavra)? São Paulo não se converteu ao Evangelho graças à visão resplandescente de Cristo no caminho de Damasco?
DEUS - O PRIMEIRO ARTISTA - ELE NOS FEZ À SUA IMAGEM!

Uma imagem é muito mais do que uma simples pintura ou escultura: na verdade é qualquer coisa que estimula a nossa visão, nos transmite uma mensagem, um sentimento, uma lembrança ao vê-la, pouco importa se é uma escultura, um desenho, uma pintura, um objeto.
uma imagem - principalmente a imagem religiosa - encerra um sentido muito mais profundo do que o próprio objeto. Ela, sem precisar - necessariamente - fazer uso da palavra, consegue falar e sensibilizar as pessoas com muito mais facilidade que ótimos oradores, pois carrega uma linguagem própria que nem sempre precisa excitar nossos ouvidos.
 
Quantos homens também não se converteram por um simples olhar para uma imagem ou crucifixo mudos no interior de uma igreja? A Bíblia afirma que o homem foi feito à imagem e semelhança de Deus (cf. Gn 1,26-27).
Vemos, assim, que o velho ditado "uma imagem vale mais do que mil palavras" é mais do que verdadeiro: 
PELO VISÍVEL SE CHEGA AO INVISÍVEL (cf. Col 1,15)
Ídolo não é - e jamais foi! - sinônimo de imagem. Ambos são distintos e inconfundíveis...
Ao contrário da imagem, que excita a vista, o ídolo é aquilo que substitui o único e verdadeiro Deus. Um bom exemplo, que confirma a nossa tese, é o episódio do bezerro de ouro narrado em Ex 32: como Moisés demorava para descer do Monte Sinai, os hebreus fugitivos do Egito não tardaram a confeccionar um bezerro em ouro, a quem cultuaram como se fosse o verdadeiro Deus.
Ora, a Igreja Católica é a única Igreja que possui ligação direta com os tempos apostólicos; ela também ficou responsável pela guarda do depósito da fé, em especial das Sagradas Escrituras.
Dessa forma, perceberemos que a própria Bíblia também defende o uso de imagens!
Veja-se, por exemplo: Ex 25,17-22; 37,7-9; 41,18; Nm 21,8-9; 1Rs 6,23-29.32; 7,26-29.36; 8,7; 1Cr 28,18-19; 2Cr 3,7.10-14; 5,8; 1Sm 4,4; 2Sm 6,2; Sb 16,5-8; Ez 41,17-21; Hb 9,5...
A Bíblia diz no livro de Josué: "Josué prostrou-se com o rosto em terra diante da arca do Senhor, e assim permaneceu até à tarde, imitando-o todos anciãos de Israel" (Jos 7, 6). Terão sido idólatras Josué e os anciãos de Israel? claro que não!
Era do meio dessas imagens de anjos da Arca, que Deus falava a Moisés. (Êxodo 25,22)
O Povo de Israel estava cercado de nações pagãs, politeístas e idólatras; cultuava-se o sol, os astros, os crocodilos, os reis, os bois, etc. O verdadeiro povo de Deus devia se afastar de tudo isso pois era monoteísta!
Tentemos, agora, compreender porque a mesma Bíblia que proíbe, também permite a confecão de imagens.
Para isso, vamos recorrer a Nm 21,4-9, onde o próprio Deus ordena a Moisés a fabricar uma serpente de bronze para curar todos aqueles que para ela olhassem e tivessem sido picados por cobras no deserto.
Neste caso a imagem não serviu para afastar o povo de Deus, mas para aproximá-lo, para demonstrar o Seu poder, sem contudo fazer esquecer o real motivo das picadas: o descontentamento de Deus com a teimosia de seu povo (v.5). Deus pode manifestar seu poder através da água, do óleo consagrado, e também das imagens!
Na maioria das vezes, na Bíblia, ajoelhar-se ou prostrar-se significa veneração, homenagem, respeito, saudação, honra, reconhecimento, e não somente Adoração.  vejamos: Betsaida se ajoelhou e se prostou diante do rei.” (I Reis 1,16-22) Betsaida não adorou o Rei, mas o reverenciou.
Conferir também : 1 Samuel 25,23; 2 Samuel 14,4; 2 Samuel 14,22; S.Mateus 18,26; Números 22,31; Josué 7,6; 1 Crônicas 29,20
Há muitas passagens na Bíblia em que as inclinações e as prostrações significam humildade, súplica, reconhecimento e não adoração.
A idolatria consistiria em achar que a divindade está em uma pessoa ou objeto, por exemplo. Ou seja, teríamos que colocar alimentos para as imagens, como faziam os romanos, os egípcios e os demais povos idólatras. Teríamos que achar que Deus e o santo são a mesma pessoa.
Nunca se ouviu algum católico defendendo que o Santo era Deus!
Ora, se Deus manda fazer imagens em várias passagens das Sagradas Escrituras, e proíbe que se façam imagens em outra, de duas uma, ou Deus é contraditório ou fazer imagens não é idolatria! Portanto, fica claro que o erro não está nas imagens, mas no tipo de culto que se presta à elas.
O fato de termos um único Mediador de Redenção, não significa que não podemos ter junto dele outros mediadores de intercessão. Se recorrer à intercessão dos santos prejudicasse a glória devida unicamente a Cristo Mediador, o Apóstolo Paulo não pediria, com tanta insistência, que seus irmãos rezassem por ele: “Rogo-vos, pois, irmãos, por Nosso Senhor Jesus Cristo e pela caridade do Espírito Santo, que me ajudeis com as vossas orações por mim a Deus” (Rom 15,30).
Quem venera uma imagem, venera a pessoa que nela está representada. Aquilo que a Bíblia nos ensina com palavras, as imagens nos anunciam com figuras visíveis.
A imagem re-presenta, ou seja, torna presente a pessoa simbolizada. Por isso podemos rezar diante das imagens como se estivéssemos diante das personagens que elas representam.
Todavia, não podemos confundir essa presença, que é meramente uma presença simbólica, com a presença real de Nosso Senhor no Santíssimo Sacramento da Eucaristia. Na imagem Jesus está presente como em um símbolo, na Eucaristia como realidade substancial. Por isso, diante do Santíssimo Sacramento fazemos genuflexão, diante de uma imagem fazemos o sinal-da-cruz ou uma simples reverência de cabeça.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

A IMACULADA CONCEIÇÃO DO SAMEIRO
O Sameiro existe como prova da profunda devoção do povo português à Santíssima Virgem, no mistério da sua Imaculada Conceição.
Em 8 de Dezembro de 1854, Pio IX, beatificado por João Paulo II, definiu a Imaculada Conceição da Virgem Maria como dogma católico. Toda a Igreja exultou com esta definição. Por toda a parte se erigiram monumentos para celebrar a alegria que tal acontecimento despertou nos devotos da Mãe de Deus.
Em 29 de Agosto de 1880 chegou a Braga - Portugal, uma grande (2,20 metros) e bela imagem da Imaculada Conceição, em madeira, obra do escultor romano Eugénio Maocegnali.
Fora benta pelo próprio Pio IX, em 22.12.1876. Ficou 2 anos na Igreja do Pópulo, Braga. Terminada a construção da Capela do Sameiro, a imagem foi transportada para lá em grandiosa peregrinação.
Esta imagem é a que os devotos conhecem como a "Senhora do Sameiro" e se encontra no trono do Santuário.
Em Lourdes - França, na margem esquerda do rio Gave, no ano de 1858, 4 anos após a definição dogmática da Imaculada Conceição, a Santíssima Mãe de Deus que aparecia na gruta revelou o seu nome a humilde camponesa Bernardette Soubirous: «Eu sou a Imaculada Conceição».
Existe uma profunda relação entre Lourdes e o Sameiro: em ambos os santuários se venera a Imaculada Conceição.
Em 31 de Agosto de 1890, era colocada a primeira pedra da actual Basílica do Sameiro, esse grandioso templo dedicado a Nossa Senhora da Conceição do Monte Sameiro, para perpetuar a alegria do povo cristão português que, deste modo, quis, mais uma vez, marcar a sua gratidão pela definição do dogma católico da Imaculada Conceição.
A festa da Imaculada Conceição de Maria (Celebrada pela Igreja em 8 de dezembro) deve ser vista como um traço característico do catolicismo português, a figura de Maria surge como “a mulher ideal, sem pecado, uma visão ideal da História, que põe a serpente e o dragão, o mal, debaixo dos seus pés”, as "metáforas bíblicas”, que projetam sobre Maria tudo o que há de belo, os astros, as estrelas, o sol.
Ela aparece rodeada, muitas vezes, com estes símbolos que, no fundo, são a beleza da criação. Maria é o cume dessa beleza.
Com o século XVII atinge-se o topo na divulgação do culto à Imaculada Conceição, um pouco por toda a Europa, devido à reacção que esse tema provocou na polémica protestante.
Em Portugal, esta conjuntura ganhou ainda maior importância, com o gesto de D. João IV, que em 1646 consagrou a nação portuguesa à Imaculada Conceição.
Atualmente, este simbolismo da Imaculada Conceição, enquanto sinal da vitória do bem sobre o mal, não deve ser esquecido.
São Paulo na carta aos Efésios escreveu que Deus “nos escolheu antes da criação do mundo para sermos santos e irrepreensíveis, em caridade, na sua presença”. O pecado separa Adão de Eva  de Deus, rompe a unidade original, que é recuperada em Maria, a nova Eva e Mãe do Redentor.
A Imaculada dá-nos um sentido de paz e confiança e apresenta-nos em Maria o retorno ao paraíso perdido, a promessa salvadora de Deus e Sua confiança no homem.
“O mundo será salvo pela beleza” escreveu o grande Dostoevskje, mas pode também perde-se se a não procura. O mundo salva-se se encontrar o Deus vivo que vem até nos e nos convida a sermos discípulos na escola de Maria Imaculada, a Senhora da Conceição.
Neste grandioso templo de estilo neoclássico, em forma de Cruz latina, sobressai o altar e as duas torres dotadas de carrilhão de sinos. Interiormente, o majestoso trono, por trás do altar-mor termina com a "formosa" imagem de Nossa Senhora do Sameiro, em cuja base lateral tem pintado: "Eugénio Maocegnali . Face . Roma 1875". Na frente da mesma base, há uma placa que regista: «O SS. Padre o Papa Pio IX benzeu esta imagem no dia 22 de Dezembro de 1876».

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

BÍBLIA - A ÚNICA REGRA DA FÉ ?
 O Protestante está realmente em terra firme quando diz que a Bíblia sozinha é a única regra de Fé?
Esta é a doutrina central Protestante da Sola Scriptura – a Bíblia sozinha é a única regra de Fé.
Mas, em que lugar da Bíblia isso é dito?
2º Timóteo 3:16 diz ‘Toda Escritura, inspirada por Deus, deve ser aproveitada para ensinar, para reprovar, para corrigir, em instrução, em justiça’. 
 Diz que as Escrituras são úteis!  Não diz que só devamos acreditar na Bíblia!
Em Mateus 15 - Nosso Senhor não estava condenando toda a tradição, mas somente a tradição corrupta dos Fariseus. E mais, São Paulo nos instruiu para resistirmos e  “mantermos as tradições que aprendemos, seja por palavras, ou por nossas epístolas” (Tess. 2, 2:14).
Perceba que o princípio central, fundamental do Protestantismo – somente a Bíblia – não é Bíblico!
O princípio de  “somente a Bíblia como única regra de Fé”, não pode ser um verdadeiro princípio do Cristianismo pois não tem base na história do Cristianismo.
Como os primeiros cristãos aprenderam sua Fé se não havia ainda a Bíblia escrita?
Como a Fé era comunicada a eles?
Como foi que Nosso Senhor pediu aos Apóstolos para comunicarem a Fé, as verdades que devem ser acreditadas para a salvação?
Ele ordenou: “vão em frente e ensinem todas as nações, batizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”. Ele disse a Pedro, “Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei minha Igreja” (Mat. 16:18).
E São Paulo ensinou claramente que é a Igreja que é o pilar e o mastro principal da verdade (Tim. 1, 3:16).
Nosso Senhor não escreveu livros.
Tampouco disse aos seus Apóstolos: “Sentem-se e escrevam Bíblias e as espalhem sobre a terra, e que cada homem leia sua bíblia e julgue por si mesmo”, o que é a essência do Protestantismo – cada indivíduo lê a Bíblia e decide para si quais são as verdades do Cristianismo.
Não! Como disse, Nosso Senhor fundou uma Igreja para pregar em Seu Nome: “Aquele que os escutam, é a Mim que está escutando, aquele que os rejeitam é a Mim que rejeitam” (Lucas 10:16). “E aquele que não ouvir a Igreja, seja considerado pagão e pecador público”. (Mat: 18:17)
A Igreja e a Fé existiam antes do Novo Testamento. Somente cinco dos doze Apóstolos escreveu algo! A Igreja estava ensinando, administrando sacramentos, os Apóstolos estavam perdoando pecados, a Igreja fazia mártires de sete a dez anos antes que uma só letra fosse escrita num pergaminho.
A Igreja estava espalhada por todo o Império Romano antes que uma só palavra do Novo Testamento fosse escrita. Tínhamos santos e mártires Católicos antes de termos Evangelhos e Epístolas.
Sendo assim, como é que os primeiros Cristãos se tornaram Cristãos e salvaram suas almas? Lendo a Bíblia? Não, pois não havia o Novo Testamento.
O Novo Testamento nem havia sido terminado 65 anos após Nosso Senhor Ascender ao Céu.
Por mais de trezentos anos, a Igreja não tinha todos os livros da Bíblia compilados em um só livro.
Livros de múltiplos autores não se compilam sozinhos em um grande livro, e depois se auto-proclamam terem sido escritos pela palavra de Deus.
E foi a Igreja Católica, no Concílio de Cartago em 397 DC, através da orientação do Espírito Santo, que determinou de uma vez por todas, qual era o Cânone do Novo Testamento; que decidiu que livros foram divinamente inspirados e quais não foram.
Se hoje os protestantes tem a Bíblia, deviam agradecer a Igreja Católica!  Como podem aceitar a Bíblia e rejeitar a Igreja que a formulou e a deu ao mundo?
Foi a Igreja Católica que juntou o Novo Testamento, agregou-o ao Velho Testamento, e entregou a Bíblia ao mundo. Foi a Igreja Católica que produziu a Bíblia, não foi a Bíblia que produziu a Igreja. 
A religião Católica é a única religião que pode responder à pergunta - “quem disse que a Bíblia é a palavra escrita de Deus?”
João 21:25 - nos diz “há muitas outras coisas que Jesus fez e que, se fossem escritas uma por uma, creio que nem o mundo inteiro poderia conter os livros que seriam escritos”
Foi a Igreja Católica, segura em sua infalível autoridade outorgada por Nosso Senhor que nos deu a Bíblia, e é somente pela autoridade da Igreja Católica que sabemos com certeza que a Bíblia é a verdadeira palavra de Deus.
 Foi por isso que Santo Agostinho, no século quarto falou: “Eu não acreditaria nos Evangelhos, caso a autoridade da Igreja Católica não me movesse a fazê-lo”

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

SATANÁS MOSTRA SUA FÚRIA CONTRA OS JOVENS CATÓLICOS

JMJ 2011: ATOS DE VERDADEIRA RESISTÊNCIA CRISTÃ

Gayzista vociferando, numa investida contra os jovens católicos. Estes pegam nos seus Terços, ajoelham e rezam.
A atitude dos participantes da JMJ de 2011 tem sido exemplar. A oração é a melhor arma para lutar contra os inimigos de Cristo e as imagens que têm corrido mundo atestam a heroicidade dos jovens que se ajoelham a rezar nas ruas madrilenas em resposta às provocações.

SEM DÚVIDA ATOS DE VERDADEIRA RESISTÊNCIA CRISTÃ!

Religiosa é vaiada e insultada pelos arruaceiros INIMIGOS da fé, quando passa na rua.

Jovem faz "orelhas-moucas" aos uivos insultuosos de um provocador anti-católico e beija o Crucifixo.

Contra os chifres do Demónio, o Santo Rosário de Nossa Senhora.

Enquanto uns ostentam o terceiro dedo da mão erguido, num gesto ofensivo e provocatório, os jovens católicos não temem em mostrar o orgulho que têm na Santa Igreja e no amor ao Santo Padre.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

A ÚNICA IGREJA VERDADEIRA
 
Cristo só fundou uma única Igreja
A Igreja Católica foi Fundada aqui : (São Mateus, 16; 18-1) E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Eu te darei as chaves do Reino dos céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.
No ano de 1.517, quando foi “inventada” a primeira denominação protestante, a Igreja Católica já tinha cerca de 1.480 anos! Alíás, a Bíblia dos Apóstolos (Católica) foi traduzida do grego para o latim por São Jerônimo por volta do ano 300! A Igreja Católica já tinha 267 anos e São Jerônimo era Padre! a Bíblia fala muito sobre os “falsos pastores ”que surgiriam nos fins dos tempos! Só não vê quem não quer!  todas as demais denominações surgiram mais recentemente. 
A Igreja Católica é a única Igreja pentecostal, pois “nasceu” no dia de Pentecostes!. É a única verdadeiramente “universal”, pois é a única que está presente em todas as nações da face da terra!.
A Igreja Católica é a portadora de uma referência religiosa e moral única, como guardiã da herança cristã. De acordo com esse ponto de vista, não se pode igualar todas as Igrejas cristãs e colocá-las no mesmo nível, o catolicismo é o único meio pelo qual se pode alcançar a salvação espiritual com a ajuda da fé em Jesus Cristo.  
A Igreja de Cristo é a Igreja Católica
Pedro foi nosso primeiro Papa. O sucessor de Pedro (Bento XVI) que por sucessão apostólica está no cargo por Ordem do Espírito Santo, precisa de nossas orações).
 A besta que servirá o Anticristo já está na espreita para tomar o Vaticano. A Igreja Católica – A Única Igreja Fundada por Cristo passará por seu calvário. Todos os Bispos e Padres da Igreja Católica vieram por sucessão apostólica ordenada desde os Apóstolos.

Jesus Cristo, Nosso Salvador, fundou apenas uma Igreja, não várias, como é desejo dos hereges. Ele fundou a Igreja Católica Apostólica Romana: "Cabe ao Filho realizar, na plenitude dos tempos, o plano de salvação de seu Pai. este é o motivo de sua missão. O Senhor Jesus iniciou sua Igreja pregando a Boa Nova, isto e, o advento do Reino de Deus prometido nas Escrituras havia séculos" (Catecismo da Igreja Católica, 763).
Os pastores evangélicos (protestantes), em geral, costumam apontar o dedo para o próprio peito dizendo serem eles a "pedra" sobre a qual Cristo Jesus fundou a Sua Igreja; outros bem mais "cultos" e "místicos", dizem que a "Igreja" está dentro do coração, e aquele que "aceitar" Jesus, pertence à Igreja de Nosso Senhor. 
 Até o ano de 1.500, a única Bíblia e Igreja Cristã existente na face da terra era a Católica!
Católico, tampe os ouvidos diante dos uivos dos lobos que trabalham furiosamente para arrancar-te do seio da Verdadeira Igreja, não lhes dê ouvidos, mas lembre-se com freqüência de que Cristo Jesus é o Santo Fundador da Única Igreja, e por mais que lancem pedras sobre ela, jamais a destruirão:
 "Cristo é o único Senhor da Igreja. Ela lhe pertence, pois é ele quem a edifica. É Pedro, porém, quem lhe guarda as chaves - para abrir - fechar - cerrar - excluir. Inimigos ardilosos, que a não conseguiram suplantar em campo aberto - tentarão - introduzir-se à socapa em seu seio, procurando combatê-la e destruí-la pelo interno"
Diz Cristo: "Sobre esta pedra edificarei a minha Igreja" (Mt 16,18). “Se não escutar a Igreja, seja ele para ti como gentio e publicano" (Mt 18,17). Cristo fala de um único rebanho e de um só pastor (Jo 10,16), de uma única videira (Jo 15), do reino dos céus na terra (Mt 13,24.47).
 Os Apóstolos falam de uma única Igreja, que Cristo amou e pela qual se entregou (Ef 5, 25.27.32), de um único corpo de Cristo (l Cor 12,20; Cl 1,18), de uma só esposa (Ap 21,9). Os coríntios se tinham dividido em partidos. São Paulo exclama: "Estará porventura Cristo dividido?" (l Cor 1,13).

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

MARIA - A VENCEDORA DOS DEMÔNIOS!
"Maria é a mais terrível inimiga que Deus armou contra o demônio”.
Quando, pois, o dragão se viu atirado para a terra, perseguiu a mulher que dera à luz o filho varão!  (Apoc. 12,13)
 Maria não só teve a missão de ser co-redentora, contribuindo com Jesus para restituir ao universo o equilíbrio tão fortemente abalado desde que houve a rebelião de Satanás e dos seus partidários, mas a sua qualidade de co-redentora fez dela também a Mãe da Igreja, que ela gerou com Jesus na dor e no amor, e tornou-a também participante, numa medida superabundante, do Seu eterno e real Sacerdócio.
Então, a serpente arrojou da sua boca, atrás da mulher, água como um rio, a fim de que ela fosse arrebatada pelo rio.  (Apoc. 12,15)
A imagem deste rio de água saindo da boca da serpente reforça a idéia da destruição que vem como resultado das mentiras, acusações e falsas doutrinas que o diabo profere contra Nossa Senhora.
O que sai da boca de Satanás, desde a primeira vez que nós o encontramos nas Escrituras, tem o propósito de destruir as pessoas que o ouvem.
Por isso, diante dela se prostram os anjos do Céu, os homens da Terra, e tremem aterrorizados e fogem os demônios do Inferno.
Por imposição de Deus, o próprio demônio, em algumas circunstâncias, foi obrigado a confessar — muito a contragosto... — que a Santíssima Virgem era sua maior inimiga, pois Ela conseguia salvar almas que estavam já em suas garras, praticamente condenadas ao inferno.
Nossa Senhora é o Terror dos demônios, Aquela que esmaga a cabeça da serpente infernal, como é representada em muitas de suas imagens – na Medalha Milagrosa, por exemplo.
 Por que Satanás e os demônios têm tanto ódio pela Virgem Maria?
 1) Porque ela sucedeu a Satanás no primeiro lugar que ele ocupava no mundo invisível e visível, como a primeira de todas as criaturas, depois de Deus, Uno e Trino, Criador.
2) Porque o “SIM” dela tornou possível a Redenção, que deu um golpe certeiro no seu domínio, instaurado sobre a humanidade através do engano e do laço estendido aos nossos primeiros pais.
3) Outro motivo do seu ódio implacável contra a Virgem Santíssima provém do fato de que a humilhante derrota lhe foi infligida por uma frágil criatura de mulher, bem inferior a ele por natureza; isto foi, é e será eternamente um tormento tal que ultrapassa todos os tormentos da Terra, tormento incompreensível para nós, homens.
Depois da Santa Missa, o Santo Rosário é a arma mais mortífera para vencer e eliminar os inimigos de Deus, da Igreja e os nossos, que são os demônios.
O Rosário tornou-se o remédio mais seguro contra todos os males do espírito e do corpo, os males pessoais e sociais, e isto foi confirmado pela Virgem Maria com fenômenos incontestados, que confundiram a loucura humana e mudaram o curso da História e o destino dos povos e das nações.
Tudo isso não pode e não deve ser ignorado pelos pastores, pelos ministros e pelos fiéis cristãos, pois a evidência dos fatos ficou registrada na História e nunca será apagada.
Atualmente, tendo cessado a era das perseguições e martírios, o demônio, que não conseguiu destruir a Igreja pelas vias violentas, quer destruí-la por meio das heresias.
Os demônios só temem a Deus, a Virgem Santíssima, e os santos (os que vivem e querem viver na graça de Deus) e riem-se de todos os outros. O seu grande êxito foi ter levado a humanidade, ou ter criado na humanidade inteira uma civilização materialista, introduzindo o ateísmo.
Não deve causar-nos estranheza o fato de, atualmente mais do que nunca, o demônio desejar introduzir pedras falsas nas fundações doutrinárias – é o caso das heresias – ou mesmo depreciar e suprimir os sacramentos a fim de tentar derrubar todo o magnífico prédio doutrinal da Igreja de Jesus Cristo.
 Cristãos: Vigilância com as mudanças na Igreja. Muitas mudanças foram sugeridas não pelo Espírito Santo, mas pelo espírito das trevas.

sábado, 13 de agosto de 2011

MARIA REFÚGIO DOS PECADORES
Maria figura da arca de Noé.  Na arca acharam abrigo todos os animais da terra, igualmente sob o manto de Maria encontram refúgio todos os pecadores!
" Na arca entraram os brutos e brutos ficaram. O lobo ficou sendo lobo e o tigre ficou sendo tigre. Mas debaixo do manto de Maria o lobo é mudado em cordeiro e o tigre em pomba. Um dia viu S. Gertrudes a Maria com o manto aberto e debaixo dele muitas feras de diversas espécies: leopardos, ursos etc. Viu também que a Virgem não só não os afugentava, mas antes docemente os recebia e afagava. Entendeu a Santa que eles figuravam os míseros pecadores, acolhidos por Maria com afável amor, quando a ela recorrem.”
‘Senhora, não detestais a nenhum pecador, por mais asqueroso e abominável que seja. Se ele implora vossa proteção, nunca deixais de estender-lhe compassiva mão para arrancá-lo do abismo do desespero’. Bendito e para sempre louvado seja Deus, que vos fez, ó Maria amabilíssima, tão compassiva e tão benigna até para com os mais miseráveis! Infeliz de quem não vos ama, e que podendo recorrer a vós, em vós não confia!
 Perde-se quem a Maria não recorre, mas quem jamais se perdeu, depois de implorá-la?”
Pelo ano de 1604, viviam numa cidade de Flandres dois jovens estudantes, que, desleixando dos estudos, se entregavam a orgias e devassidões. Uma noite entre outras foram a certa casa de tolerância. Um deles, chamado Ricardo, depois de algum tempo, retirou-se para casa, e o outro ficou. Chegando Ricardo a casa, estava para acomodar-se, quando se lembrou que não havia rezado umas Ave-Marias, como era de seu costume fazê-lo em honra da Santíssima Virgem. Acabrunhado pelo sono, sem nenhuma vontade para rezar, fez, contudo, um esforço e rezou as Ave-Marias, embora sem devoção e por entre bocejos de sono. Deitou-se e depois adormeceu.
Mas não tardou a ouvir bater à porta com muita força. E imediatamente, sem ele a abrir, vê diante de si seu companheiro de farras, mas desfigurado e medonho.__ Quem és tu? – perguntou aterrorizado.__ Tu não me conheces? – respondeu o outro.__ Mas como te mudaste tanto? Tu pareces um demônio.__ Ai, pobre de mim! – exclamou aquele infeliz, - que ao sair daquela casa infame, veio um demônio e me sufocou. O meu corpo ficou no meio da rua, e a minha alma está no inferno. Sabes, pois, acrescentou, que o mesmo castigo te tocava também a ti. Mas a bem-aventurada Virgem, pelo teu pequeno obséquio das Ave-Marias, te livrou dele. Ditoso de ti, se tu souberes aproveitar deste aviso, que a Mãe de Deus te manda por mim. Depois destas palavras, o condenado entreabriu a capa e mostrou as chamas e as serpentes que o atormentavam e desapareceu.
Então Ricardo, chorando copiosamente, com o rosto em terra, deu graças a Maria, sua libertadora. Enquanto pensava como mudar de vida, ouviu tocar Matinas no convento dos franciscanos. Logo pensou: É aí que Deus me quer para fazer penitência. E foi pedir aos frades que o recebessem. Cientes de sua má vida, não queriam eles aceitá-lo. Contou-lhes então entre lágrimas o que havia acontecido. Dois religiosos foram à rua indicada, achando efetivamente o cadáver do companheiro, sufocado e negro como um carvão. Depois disso foi Ricardo admitido e levou uma vida penitente e exemplar. Mais tarde foi como missionário pregar nas Índias e em seguida no Japão, onde teve finalmente a graça de morrer mártir, queimado vivo por amor de Jesus Cristo.

domingo, 7 de agosto de 2011

A MULHER REVESTIDA DE SOL
"ELA deu a luz um filho, um menino que deve reger as nações pagãs com cetro de Ferro!"
(Apocalipse 12)
Esse assunto é complicado, pois é uma ferida no coração protestante, nós sabemos que os filhos da serpente não suportam ouvir falar na Mulher, pois todos nós sabemos que a serpente tem ódio da mulher, porque ela pisaria em sua cabeça.
Gênesis 3,15
 "Porei ódio entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça, e tu ferirás o calcanhar.”     
Nesse texto de gênesis podemos observar exatamente que existem duas descendências, uma da mulher e outra da serpente, sendo que a descendência da mulher seria perseguida pela descendência da serpente, é exatamente isso que acontece em nossos dias.
 Nós Católicos descendentes da mulher somos perseguidos pela descendência da serpente, mas voltando ao assunto principal, que é a respeito da mulher revestida do sol e a lua debaixo dos seus pés, temos que entender biblicamente de que mulher se trata essas características.   
A primeira característica dessa mulher é que ela estava revestida do sol e tinha a lua debaixo dos seus pés, parece meio obscuro, mas devemos primeiramente entender que Deus estava enviando um sinal podemos observar isso logo no inicio do versículo “Apareceu em seguida um grande sinal”; então Deus estava enviando um SINAL com uma mulher vestida se sol, só existe um texto na bíblia fora apocalipse 12 onde Deus também envia um sinal com uma mulher.
Isaias 7, 14
 "Por isso, o próprio Senhor vos dará um sinal: uma virgem(Maria) conceberá e dará à luz um filho, e o chamará Deus Conosco.(Jesus Cristo)
No texto de apocalipse, Deus envia um sinal com uma mulher que daria a luz ao menino e no texto de Isaias 7 Deus também envia o mesmo sinal, uma mulher virgem que daria a luz ao menino, todos nós Cristãos sabemos exatamente quem é a mulher que deu a luz ao menino Deus! Essa mulher se chama a bem aventurada Virgem Maria, mas no texto do apocalipse diz que essa mulher estava revestida de sol e tinha a lua debaixo dos seus pés, acredito que no antigo testamento exista um texto que explica sobre isso.
Cântico dos cânticos 6, 9 -
"uma, porém, é a minha pomba, uma só a minha perfeita; ela é a única de sua mãe, a predileta daquela que a deu à luz. Ao vê-la, as donzelas proclamam-na bem-aventurada, rainhas e concubinas a louvam.
10. Quem é esta que surge como a aurora, bela como a lua, brilhante como o sol, temível como um exército em ordem de batalha?
Existem duas observações nesse texto, primeiro que a mulher bela como a lua e brilhante como o sol, era a perfeita escolhida, todos nós sabemos quem foi a escolhida - A Virgem Maria, a segunda particularidade nesse texto se trata da forma com que Deus proclama essa mulher “Ao vê-la, as donzelas proclamam-na bem-aventurada”; nessa frase Deus está afirmando que a mulher bela como a lua e brilhante como o sol segundo o livro dos cânticos e revestida do sol com a lua debaixo dos pés segundo o livro do apocalipse, seria proclamada bem aventurada.
Biblicamente só existe uma mulher que seria proclamada bem aventurada por todas as gerações: "Todas as gerações me chamarão bem-aventurada!" (Lucas 1,48)

A bem aventurada virgem Maria, bela como a lua e brilhante como o sol, no qual serviu como sinal para vinda do salvador é a mesma mulher do apocalipse 12 que também serviu como sinal para vinda do salvador, estava revestida do sol e tinha a lua debaixo dos pés.
Alguns protestantes dizem que essa mulher é a igreja, pena mesmo para os protestantes que a igreja foi enviada por Jesus Cristo e não Jesus Cristo enviado pela igreja, na tese protestante a igreja deveria ter nascido antes de Jesus Cristo...
Também não podemos deixar de lado que a mulher revestida do sol, tem um significado muito extraordinário, Maria carregou em seu ventre a luz do mundo e o sol nascente.
Lucas 1,78. "Graças à ternura e misericórdia de nosso Deus, que nos vai trazer do alto a visita do Sol nascente"
MARIA É LEVADA AO CÉU - ASSUNÇÃO
 "Sentada à direita de seu Filho Divino" (3 Reis, 2, 19), "revestida do sol" (Apoc. 12, 1) - cercada de glória "como a glória do Filho único de Deus" (Jo. 1, 14)
 A Assunção de Maria Santíssima foi sempre ensinada em todas as escolas de teologia e não há voz discordante entre os Doutores. A Assunção é como uma conseqüência da encarnação do Verbo - Se a Virgem Imaculada recebeu outrora o Salvador Jesus Cristo, é justo que o Salvador, por sua vez, a receba.
 Cristo recebeu sua vida terrena das mãos de Maria Santíssima. Natural é que Ela receba a Vida Eterna das mãos de seu divino Filho.
Qual filho, podendo, não preservaria sua Mãe da morte?
 A dignidade de Filho de Deus feito homem exigia que não deixasse no túmulo Aquela de quem recebera o seu Corpo sagrado. Nosso Senhor Jesus Cristo, por assim dizer, preservando o corpo de Maria Santíssima, preservava a sua própria carne.
Como seria possível que o Filho, tendo sido unido à sua Mãe em toda a sua vida, na sua infância e na sua dor, não se unisse à Ela na sua glória?
Nosso Senhor tomou a humanidade do corpo de sua Mãe. Sua carne era a carne de sua Mãe, seu sangue era o sangue de sua Mãe, etc. Como permitir que sua carne, presente na carne de sua santíssima Mãe, fosse corrompida pelos vermes e tragada pela terra? Ele que nasceu das entranhas amorosíssimas de Maria Santíssima permitiria que essas mesmas entranhas sofressem a podridão do túmulo e o esquecimento da morte? Seria tentar contra o amor filial mais perfeito que a terra já conheceu. Seria romper com o quarto mandamento da Lei de Deus, que estabelece "Honrar Pai e Mãe".
"Depois, abriu-se no Céu o Santuário de Deus, e apareceu a Arca da Aliança.
E houve relâmpagos, estrondos, trovões, um tremor de terra e uma tempestade de granizo.
Depois, apareceu no Céu um grande sinal: uma Mulher vestida de Sol, com a Lua debaixo dos pés e com uma coroa de doze estrelas na cabeça" (Apoc.11,19)
A Assunção difere da ascensão de Nosso Senhor no fato de que, no segundo caso, Nosso Senhor subiu por seu próprio poder, enquanto sua Mãe foi assunta ao Céu pelo poder de Deus.
Esta doutrina foi dogmaticamente e infalivelmente definida pelo Papa Pio XII, em 1 de novembro de 1950, na sua Constituição Apostólica Munificentissimus Deus. A festa da assunção para o céu da Virgem Maria é celebrada como a "Solenidade da Assunção da Bem-aventurada Virgem Maria" pelos católicos, e como a Dormição por cristãos ortodoxos. Nestas denominações a Assunção de Maria é uma grande festa, normalmente comemorada no dia 15 de agosto. 
Você sabe que a morte foi fruto do pecado de Adão. Pelo pecado de Adão, entrou a morte no mundo, como escreveu São Paulo.
Ora, Cristo preservou sua Mãe do pecado original. Ela estava, pois dispensada de morrer, e ela só quis morrer, para imitar o seu Divino Filho, que não tinha pecado, mas quis morrer na cruz para nos salvar.
Está escrito que Deus não permitiria que o seu Justo sofresse a corrupção do sepulcro.
Por isso também, Jesus não permitiu que aquela que foi "cheia de graça" desde o primeiro instante de seu ser, fosse corrompida pela morte e pelo túmulo.
Se Adão e Eva não tivessem pecado, eles nunca morreriam, e iriam ao céu diretamente, em corpo e alma.
Ora, Nossa Senhora -- como Cristo -- foi preservada de todo o pecado. Ela foi a nova Eva como Cristo foi o Novo Adão.
E, como Jesus, ela foi levada ao céu diretamente, sem corrupção, como Eva teria ido, se não tivesse pecado.
Como um rio, que após longa corrida deságua no mar, a Virgem Toda Santa deságua na glória de Deus: transfigurada no Espírito Santo, derramado pelo Cristo, ela está na glória do Pai!
“Cristo ressuscitou dos mortos como primícias dos que morreram. Com efeito, por um homem veio a morte e é também por um homem que vem a ressurreição dos mortos. Como em Adão todos morrem, em Cristo todos reviverão. Porém, cada qual segundo uma ordem determinada”
Aquilo que todos nós só teremos em plenitude no final dos tempos, a Santíssima Mãe de Deus, já recebeu logo após a sua morte. Ela é a “Mulher vestida de sol, tendo a lua debaixo dos pés e sobre a cabeça uma coroa de doze estrelas”.
Ela já está totalmente revestida da glória do Cristo, Sol de justiça – e esta glória é o próprio Espírito Santo que o Cristo Senhor nos dá. Ela já pisa a lua, símbolo das mudanças e inconstâncias deste mundo que passa. Ela já está coroada com doze estrelas, porque é a Filha de Sião, filha perfeita do antigo Israel e Mãe do novo Israel, que é a Igreja.
Então, caríssimos, olhemos para o céu, voltemos para lá o nosso coração!